Fonte: G1 | O bairro do Itaim Paulista, na Zona Leste de São Paulo, registrou 112 vezes o número de agressões a mulheres do que o distrito da Saúde, na Zona Sul, de acordo com dados do mapa da Desigualdade da Primeira Infância divulgados nesta terça-feira (5) pela Rede Nossa São Paulo e a Fundação Bernard van Leer.

Os dados de 2015 são baseados no número total de internações de mulheres que moram na capital paulista com 20 a 59 anos de idade a cada 100 mil mulheres na mesma faixa etária.

Agressão contra mulheres

O distrito da Saúde registrou número de 2,3 casos a cada 100 mil mulheres, enquanto o Itaim Paulista teve 285,26 casos para o mesmo universo.

“Ainda é muito subnotificado o crime de agressão contra as mulheres. Muitas mulheres são agredidas e o próprio poder público não tem capacidade de atender, pelo contrário, o preconceito institucional e impedir que seja feita essa denúncia. Nós abemos que infelizmente o machismo e a agressão contra as mulheres estão em uma cidade como um todo, não tem a ver com classe social ou região. Nesse indicador, é muito mais um registro da absorção do poder público sobre o tema do que propriamente a incidência contra a mulher nessas situações”, afirmou o gestor de projetos da Rede Nossa São Paulo, Américo Sampaio.

Após o distrito do Itaim Paulista, aparecem como as regiões com o maior número de agressões contra mulheres o Grajaú (155,57), na Zona Sul; Perus (153,75), na Zona Norte; e Brás (147,1) no Centro.

Para Jorge Abrahão, coordenador da Rede Nossa São Paulo, a violência contra a mulher está espalhada pela cidade, não é um problema só do Itaim Paulista.

“É preciso ver se as mulheres têm acesso à assistência social, segurança. Se ela se sente segura em fazer uma denúncia. Os dados chamam o poder público para concentrar seus investimentos em delegacias para a mulher, apoio psicológico, etc, nessas áreas”, disse.

Nove distritos não registraram nenhum caso de agressão feminina nesse período. São eles: Santo Amaro, Jaraguá, Cambuci, Vila Leopoldina, Socorro, Moema, Jardim Paulista, Ipiranga e Pinheiros.

Homicídios

As mulheres que vivem na Vila Medeiros, na Zona Norte da capital, estão 9,29 vezes mais suscetíveis a morrer do que as mulheres que moram Jaraguá, também na Zona Norte.

Na Vila Medeiros foram registrados 8,96 homícios para um grupo de 100 mil mulheres em 2005. Os dados foram atualizados até 18 de maio de 2017. Já no Jaraguá foram 0,964 homicídios para cada 100 mil pessoas do sexo feminino.

Dos 96 distritos, 34 não registraram nenhum homicídio feminino no período.

Entre os distritos com maior número de homicídios de mulheres aparecem na segunda e terceira posição do ranking São Miguel, na Zona Leste, com 8,49 casos a cada 100 mil mulheres e Butantã com 6,97 casos registrados.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here