Salário de funcionários e despesas já somam R$1,5 milhão

Henrique Santos: Rico em histórias, mas financeiramente abalado. O Paulista de Jundiaí pode estar dando “tchau” e fechando as portas definitivamente, por conta de um rombo expressivo na economia do clube. Obrigados a leiloar o próprio estádio, o Paulista briga na justiça para quitar todos os processos trabalhistas e driblar uma situação delicada.

Imagem divulgação: (Jogo da final da Copa do Brasil 2005).

Campeão da Copa do Brasil de 2005 em cima do Fluminense, o clube de Jundiaí foi fundado em 1909. Ao longo dos 109 anos de história, já foi considerado um dos quatro times mais importantes do estado de São Paulo. Porém, tudo isso mudou com um efeito de “queda livre”, que sobreveio ao time no ano de 2007.

Dois anos após ter conquistado uma das principais competições do Brasil, o Paulista foi acumulando uma série de rebaixamentos como, por exemplo, a queda na Série B do Campeonato Brasileiro para a Série C. Mais recentemente, em 2017, a fé dos torcedores se viu novamente abalada com três quedas consecutivas num intervalo de quatro anos.

Em uma matéria publicada pelo jornal esportivo ‘Lance!’ no mês de abril do ano passado, a informação era de que o clube estava respondendo na justiça por R$1,5 milhão em dívidas trabalhistas. Além disso, os comentários de um possível desvio de verbas internas, pairam sobre este momento do ’Galo da Japi’, segundo o jornalista Paulo Cézar no ‘Blog do Paulinho’.

Imagem aérea do estádio Jayme Cintra.

Quando a situação parecia não piorar, o próprio estádio foi a leilão por decisão da Justiça do Trabalho de Campinas. Avaliado em R$ 35 milhões, o valor seria suficiente para dar mais um período de alívio até uma recuperação completa. Entretanto, existe um penhasco de distância entre a teoria e a prática, pois, o estádio Jayme Cintra não recebeu ofertas de interessados em arrematar o terreno.

Imagem relacionadaPor enquanto, a meta de vender o imóvel está congelada e os empregados seguem ser saber se haverá um acordo que saldará ou não os honorários. Mas, o maior mistério, é se o Paulista de Jundiaí voltará a brilhar como nos tempos de glória, quando encantava os torcedores com um dos estilos de futebol mais vistosos do interior.

 

Tentamos contato com a assessoria de imprensa e comunicação do Paulistano de Jundiaí, mas não obtivemos resposta nem por e-mail e nem por telefone. O espaço continuará em aberto, afim de assegurar o direito de resposta – conforme a constituição.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here