Reportagem do Acontece voltou a visitar o logradouro depois de um ano após da primeira denúncia; moradores se queixam que a construção segue paralisada

Fotografia: (Eduardo Rocha).

Henrique Santos: Há um ano, quando nossa reportagem visitou a interligação da Avenida José Aristodemo Pinotti com a Avenida Imperador, o cenário não era nada bom. Hoje, após completar um ano das primeiras denúncias, os moradores ainda sentem amargamente o descaso e abandono do poder público.

Sem previsão para ser concluída, as obras que deveriam facilitar a vida de milhares de pessoas e desafogar o trânsito para a população de Vila Curuçá e de bairros adjacentes, segue congelada e num “pingue-pongue” até que se resolva a situação.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

Projetado em 2010, na gestão do Secretário Municipal  de Infraestrutura Urbana e Obras,
Marcos Penido, a expectativa é que, no máximo, o complexo viário estivesse concluído em dois anos. Mas, infelizmente, não foi o aconteceu. Burocracias e falta de gestão de muito representantes públicos, levaram o local a se tornar um verdadeiro covil para acidentes de veículos e doenças transmitidas por ratos, mosquitos, baratas e afins.

“[…] acho uma vergonha não fazerem nada nesse lugar. De um ano pra cá só cortaram o mato. Sem falar na infestação de ratos e baratas  por falta de dedetização”, conta uma moradora que não quis se identificar.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

O caso voltou à tona durante a gestão do ex-prefeito e candidato ao governo de São Paulo, João Dória, diante da repercussão das denúncias veiculadas no Jornal Acontece Agora. Porém, bastaram alguns empecilhos para que pauta fosse jogada novamente para “debaixo” do tapete e caísse no esquecimento.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

“Eu fico muito triste porque nasci aqui e fui criado nesta rua mas esse lugar está abandonado  desde o tempo da minha avó. A prefeitura só vem aqui, promete, promete e nada de concreto. Quem mora aqui está jogado e esquecido pelo poder público. Só lembram de quem mora aqui nessa época de eleições”, lamenta Robson Carlos Silva, microempreendedor da  região de São Miguel Paulista.

Com um futuro incerto e em um empurra-empurra, novamente quem é prejudicado é a sociedade. Ainda sim, no olhar de quem mora na Vila Curuçá, é possível verificar um pequeno brilho de quem ainda mantém a esperança.

Outro lado

Entramos em contato com a Subprefeitura de São Miguel Paulista para tratar sobre as obras paradas na interligação da Avenida José Aristodemo Pinotti com a Avenida Imperador. Em nota, a assessoria de imprensa e comunicação informou que a retomada da construção não compete a gestão do bairro, e, sim, da Secretaria Municipal da Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB).

Tentamos contato com a (SIURB), mas até o fim desta matéria não houve qualquer posicionamento a respeito do tema.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here