Ricardo André de Souza utilizava parte das dependências de sua casa, para a produção de balões. O suspeito trabalhava como funcionário da Infraero, quando não estava produzindo os balões.

Texto: Henrique Santos | Acusado de comandar um esquema de fabricação de balões, Ricardo André Souza foi detido na tarde da quarta-feira, 13, em São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo. Os polícias responsáveis pela investigação, chegaram ao suspeito após denúncias anônimas a respeito da fábrica ilegal no endereço. Ainda segundo o boletim de ocorrência registrado, Souza é funcionário da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) no aeroporto de Congonhas, na capital paulista).

No documento consta que ele “mantinha em sua própria residência uma fábrica clandestina de balões, inclusive com vários balões prontos para serem comercializados e, por conseguinte, soltos, além de farto material para a confecção”.

O morador teria deixado os policiais do 22º DP entrarem e lá eles encontraram um alçapão no quintal. O local, segundo a Polícia Civil, era amplo e com utensílios espalhados por todos os lados.  Já na delegacia, ele se reservou ao direito de falar em juízo, e responderá pela lei de crime ambiental previsto nos termos do artigo 42 da Lei 9.605/98.

Na qual, ratificar que “fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano, pode gerar detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here