Marcos Roberto de Oliveira, de 49 anos, foi chamado por funcionária da escola para conter tumulto. Suspeito de 15 anos foi detido.

Um guarda-civil metropolitano de 49 anos foi morto com quatro tiros, um deles na cabeça, ao chamar a atenção de um grupo de adolescentes que chutavam os portões de uma escola municipal do Jardim Lajeado, zona leste da capital, nesta terça-feira, 9. Um dos jovens acusados de participar do crime, de 15 anos, foi baleado pela parceira do GCM e apreendido. Os demais fugiram.

O adolescente foi detido após ser encontrado por cães farejadores da GCM. Um dos tiros dados pela parceria do agente morto o atingiu na perna, de raspão, mas ele fugiu e deixou rastro de sangue. Os cães seguiram o rastro e ele foi localizado às 16 horas, cerca de três horas após o tiroteio.

DNT 09-05-2017 SAO PAULO – SP / CIDADES METROPOLE OE / CRIME GUAIANAZES – Adolescente de 15 anos preso apos tentatvia de roubo a escola que resultou na morte de policial da Guarda Civil Metropolitano em tiroteio no bairro de Guaianazes, Sao Paulo, sai do 67o. DP localizado na R. Severino Jose Francisco, 1900 apos prestar depoimento – FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Segundo o inspetor da GCM Agapito Marques, funcionários da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Eliza Maria Torres chamaram a GCM após um grupo de jovens começar a chutar os portões da escola. “Quando os agentes chegaram, os jovens estavam em uma quadra comunitária que fica na frente da escola”, diz o inspetor.

O guarda-civil Marcos Roberto de Oliveira e sua parceira foram até a quadra para chamar a atenção dos jovens, nas palavras do inspetor. “Aí outros dois jovens chegaram por trás e começaram a atirar”, segundo conta. Oliveira, guarda com 16 anos de profissão, foi atingido por quadro disparos. Sua parceira sacou a arma e revidou os tiros, disparando sete vezes, e afugentando a dupla. Então, ela pediu reforço e começou a ajudar o colega, já caído na quadra.

O agente baleado chegou a ser levado para o pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, mas não resistiu. Com a chegada do reforço e o auxílio dos cães, agentes da GCM fizeram buscar na favela do Jardim Aurora, e acharam o rapaz ferido.

O autor dos disparos, ainda segundo a GCM, é um rapaz de 18 anos que já foi identificado, mas está foragido. Quando menor, o rapaz teria se envolvido também em um homicídio de um sargento da Polícia Militar. O caso foi registrado no 67.º Distrito Policial (Jardim Robru). A Polícia Civil não deu informações sobre o caso.

Na delegacia, um grupo de quatro mulheres que se identificaram como familiares do rapaz negaram que o jovem tenha participação com o crime, mas não forneceram outros detalhes. Uma adolescente, também de 15 anos, foi levada à delegacia com o rapaz preso. Segundo os guardas, após o tiroteio ela tentou furtar a arma de Oliveira, com ele já caído, mas foi impedida pela parceira do GCM. Ela foi identificada depois, ainda de acordo com os guardas.

Marcos Roberto de Oliveira foi enterrado na tarde desta quarta-feira (10) no Mausoléu da GCM, no cemitério do Araçá, na zona oeste de São Paulo. A cerimônia fúnebre contou com a presença marcante do prefeito de São Paulo João Doria, juntamente com o prefeito regional de São Miguel Paulista Edson Marques.

Doria fez questão de cumprimentar a esposa do guarda e a filha do casal. “Hoje estou aqui para dar meus votos de pesar e prestar a minha solidariedade à família do nosso Guarda Civil Metropolitana que estava na defesa da vida, da cidade, das pessoas e do patrimônio. Lamento muitíssimo este assassinato cruel feito por um bandido, aqui presto minha solidariedade a todos”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here