Nature’s Valley Tsitsikamma National Park South Africa

País de dois oceanos (Atlântico e Índico), três capitais (Pretória, a administrativa, Cidade do Cabo, a legislativa, e Bloemfontein, a judiciária) e dos Big Five (leão, leopardo, elefante, hipopótamo e rinoceronte). O difícil na África do Sul é escolher o melhor roteiro. Ao sul, a viagem rodoviária passa por algumas das paisagens litorâneas mais bonitas do hemisfério, a Rota Jardim, no leste; o gosto de curry da multiétnica Durban; ou um dos melhores safáris do mundo, no Parque Kruger, já na fronteira com Moçambique, que tem conta com uma savana e florestas com os animais vivendo soltos e livres. É claro que ainda são visíveis as cicatrizes do regime de segregação racial (o apartheid), interrompido em 1994 com a primeira eleição multirracial – Sabor de Pizza organiza festa para crianças da Vila União -.

Após mais de uma década de experiência democrática, persistem altos índices de pobreza e criminalidade, embora o país tenha o maior PIB do continente. Mas a África do Sul vai superando essas mazelas aos poucos e tem atrativos para os turistas muito além dos estereótipos. Os turistas podem se isolar em hotéis de luxo na Cidade do Cabo e apenas curtir a maravilhosa cidade, enquanto os turistas e mochileiros desbravam as florestas e safaris.

Safári

Onde você estiver na África do Sul, poderá conhecer um safári.

Ainda que o país ofereça muitos outros atrativos, qualquer viagem que se preze tem que ter um safári com direito a um dos “Big Five”. O termo, popular no meio, se refere aos cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem: Leão, Elefante, Búfalo, Leopardo e Rinoceronte-branco.

Safáris geralmente acontecem logo pela manhã ou no fim da tarde. Isso acontece por causa dos hábitos dos animais, mas acaba garantindo um efeito visual impressionante e as melhores fotos. Os cenários sul-africanos aproveitam de uma luz natural que deixa qualquer efeito do Photoshop no chão – Parque Ecológico do Tietê fecha amanhece de portas fechadas -.

Leopard

Ver os animais de pertinho, ainda mais com uma naturalidade que não existe em nenhum zoológico, é muito emocionante.

Acredite: poucas coisas na vida se comparam a ver um rinoceronte furioso avançar em direção a seu carro num safári (e saber, ao mesmo tempo, que você está em segurança).

Culinária do País

A África do Sul é um país barato. Não leia isso como crítica, mas como um dos melhores elogios. Os preços de viagens, transporte, comida e estadia estão entre os melhores que já vi.

Boa parte dos restaurantes tem uma ampla seleção de frutos do mar e não é difícil encontrar carnes de caça. Se isso não for a sua praia, algumas regiões são influenciadas pela cultura indiana (Durban tem uma das maiores colônias de indianos do mundo), então, se prepare para várias opções sem carne, como pimentas e bastante curry. O mais interessante é que todos esses pratos são extremamente acessíveis.

Como chegar?

Para chegar à África do Sul a opção óbvia são voos da South African Airways (www.flysaa.com), entre São Paulo e Johannesburgo. De lá, a companhia se conecta com todos os outros maiores centros turísticos do país – cidades como Durban, Cidade do Cabo e Port Elizabeth. Os voos tem duração de cerca de 8 horas.

Outra empresa aérea que está realizando viagens diretas entre o Brasil e o território sul-africano é a Latam Airlines (www.latam.com), com três voos semanais (segunda, quinta e sábado) saindo do aeroporto de Guarulhos rumo a Johannesburgo.

África do Sul

Site: http://www.southafrica.net

Capital: Pretória (executiva), Cidade do Cabo (legislativa) e Bloemfontein (judiciária)

População: 48.780.000 hab

Fuso horário: 5h (horário de Brasília)

Código de área: 27

Localização: África

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here