O quarto e último capítulo da série “Raio X nos Bairros” falará um pouco sobre o distrito de Ermelino Matarazzo e Ponte Rasa, as suas necessidades e, principalmente, sobre as expectativas dos moradores nas próximas eleições. Desde o início do projeto, recebemos um rico conteúdo da população local, que enviaram as suas reivindicações para o endereço de e-mail: raioxdosbairros@gmail.com.

Com aproximadamente 210 mil pessoas, a região possui duas estações de Trem (USP Leste e Comendador Ermelino), além de abrigar o Parque Ecológico do Tietê. A localidade faz divisa pelo lado norte do município de Guarulhos.

Sua principal carência é a falta de empregos, onde segundo o CENSO de 2010, 97% da população não trabalha no distrito, o que faz com que haja grande necessidade de locomoção por parte destes trabalhadores, o chamado “bairro-dormitório”.

Segundo José de Almeida, morador há 25 anos, que trabalha em Guarulhos, a divisa com o município vizinho ajuda a locomoção, porém quem necessita trabalhar no centro da cidade sobre, pois a péssima qualidade do transporte público é algo latente na região. “Só vou ao centro por necessidade, caso contrário, tento resolver as coisas, porém nem sempre conseguimos, e Guarulhos acaba sendo uma alternativa próxima”, conta.

A ausência de creches e escolas de ensino médio é outro grande problema da região, cuja demanda chega a 6 mil vagas. Muitos alunos acabam sendo matriculados em bairros vizinhos devido a esse déficit, arrastando este problema para as regiões mais próximas. Mariana Dias, 28, matriculou a sua filha em uma creche no distrito vizinho, pois não tinha vaga na região. “Tenho que me descolar diariamente para deixar a minha filha, espero que este problema possa ser resolvido o mais rápido possível, pois além do descolamento, há também a condução péssima e a perda de tempo no trânsito”.

Cerca de 99,7% dos domicílios são conectados à rede pública de abastecimento de água, porém, apenas 26% recebem tratamento. O restante é lançado nos córregos da região, sobretudo nas áreas do Jardim Keralux, na Favela Mungo Parke, no Córrego Ponte Rasa.  Este problema ocasiona diversos problemas de contaminação e também de enchentes na época das chuvas. “Somos esquecidos pelo poder público”, desabafa Valdirene dos Santos, 35.

O grande número de ocupações ilegais da região está sobre áreas que necessitariam ser removidas a fim de não prejudicar o sistema hídrico. Para José Almeida, 65, morador há 38 anos, “o grande número de invasões prejudica o crescimento da região, e também mostra a vulnerabilidade social que o bairro atravessa. É preciso investir pesado, não só na moradia, mas também em segurança pública”, finaliza.

Para Antônio de Moraes, 72, morador há 30, “a eterna promessa nas regularizações faz com que a região não melhore, além disso, o problema social acaba sendo um grande chamariz para os políticos buscarem votos. Somos usados a cada eleição. Os engravatados aparecem aqui, fazem as suas promessas e levam os nossos votos”.

Agora, cabe aos eleitores escolherem melhor os seus representantes, para que estes possam colocar o bairro nos eixos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here