Conheça as principais demandas de Itaim Paulista e Vila Curaçá

O terceiro capítulo da série “Raio X nos Bairros” falará um pouco sobre o distrito do Itaim Paulista, sobre as suas necessidades e, principalmente, sobre as expectativas dos moradores nas próximas eleições. Desde o início do projeto, recebemos um rico conteúdo da população local, que enviaram as suas reivindicações para o endereço de e-mail: raioxdosbairros@gmail.com.

Segundo dados da Prefeitura Regional de Itaim Paulista, a região é composta por dois distritos, Itaim Paulista e Vila Curuçá que, somados, representam uma área de 21,7 km², com uma população estimada em 408 mil, sendo uma das mais habitadas da cidade. Se a localidade fosse um município, ela seria a 13ª. mais populosa da cidade, juntamente com Mauá e São José do Rio Preto.

Se o local conta com uma extensão territorial grande, os seus problemas seguem a mesma proporção, como a ausência de terminal de ônibus de “qualidade” ao lado da Estação Itaim Paulista da CPTM, onde as inúmeras filas na calçada denunciam o “esquecimento” do poder público. Lembrando que a região faz divisa com quatro municípios da grande São Paulo: Itaquaquecetuba, pela Avenida Marechal Tito, Ferraz de Vasconcelos, pela Rua Tibúrcio de Souza ou Avenida Itajuíbe, Poá por uma ponte que passa sobre o Córrego Três Pontes e Guarulhos.

Para José dos Reis, morador há quase 50 anos no bairro, este é um dos principais problemas na região. “A questão da mobilidade urbana é um caos por aqui. Os políticos não têm respeito pela nossa região. Eles aparecem aqui na época de eleição com as suas promessas de campanha, levam nossos votos e nada fazem pela população”.

O morador Severino Ribeiro (68 anos), mais conhecido como Severino da Jangada diz: “tenho vergonha de dizer que moro próximo da principal avenida do bairro e que os pontos principais que se destacam ao lado da minha residência é uma favela sem qualquer humanização e o “buraco da vergonha” na pista da Avenida Marechal Tito, que vem obstruindo o trânsito em uma das pistas da avenida a mais de 3 anos e ninguém faz nada, mesmo com o jornal Folha do Itaim sempre lembrando o assunto.

Cratera a céu aberto na Avenida Marechal Tito na altura do Córrego Itaim.

Uma das principais demandas apresentadas pelo Conselho Participativo Municipal do Itaim Paulista pede que haja uma intervenção no controle das águas nas bacias do Ribeirão Lajeado, Ribeirão Água Vermelha, Córrego Itaim, Córrego Tijuco Preto e do Córrego Três Pontes.

Imagem de acervo – (Ocupação ilegal no Córrego Itaim).

Outra preocupação dos moradores é o grande número de pessoas que habitam em áreas de risco. Segundo um estudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, cerca de 16 mil pessoas se encontram nessa situação. “Estamos cansados de promessas de regularização fundiária, de advogados que chegam aqui e só prometem. Dizem que o processo está andando só para levarem os nossos votos. Eles brincam com a nossa desgraça, quando eles se perpetuam no poder”, finaliza Mariana dos Reis, 35 anos.

Em recente estudo divulgado pela Rede Nossa São Paulo, a região registrou um alto índice de casos de violência contra a mulher, 285,26 casos para cada 100 mil, mostrando também que necessita de investimentos em delegacias para as mulheres, apoio psicológico, entre outras. Segundo o mesmo estudo, a expetativa de vida na região caiu de 60,64 para 60 anos, de 2014 para 2015.

“A população idosa também é motivo de preocupação, pois a região ainda não possui uma URSI (Unidade Referência à Saúde do Idoso) e nem uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento)”, pontua Geraldo Teixeira, 73 anos.

Segundo Chiquinho Barros, 54 anos, da Associação dos moradores do Jardim Nazareth, há um grande descaso público na região, muitos moradores encontram dificuldades em localizar médicos especialistas e buscam atendimento médico em Ferraz, município próximo. “Instalaram o Corujão, prometeram zerar as filas e o povo caiu neste conto de fadas. Tudo promessa de campanha”, finaliza.

Porém nem tudo é alvo de críticas, pois o Itaim possui um grande número de estabelecimentos comerciais movimentando a economia local, gerando novos empregos e também novas fontes de renda para os moradores. “Só precisamos de mais apoio do poder público para que o bairro se desenvolva”, conta Carlos Evangelista, 54, proprietário de uma ótica.

Cabe agora, os moradores do bairro, escolherem melhor os seus representantes, para que o Itaim Paulista e a Vila Curuçá se desenvolva e que as melhorias favoreça a toda a população local.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here