Todo mundo sabe que o Dia Internacional da Mulher é comemorado no dia 8 de março, mas será que você sabe a origem desta data?

Texto: Eduardo Micheletto | Em 1857, nessa data, foi realizada nos Estados Unidos a primeira greve de mulheres, em uma fábrica de tecidos na cidade de Nova York. As tecelãs reivindicavam tratamento digno (sofriam violência sexual e física), redução da carga horária diária para 10 horas (a carga horária era de 16 horas) e salários iguais aos dos homens que exerciam o mesmo cargo (ganhavam um terço do salário dos homens).

A repressão a manifestação das tecelãs é motivo de dúvidas até hoje. São duas as versões. Alguns segmentos acreditam que a greve foi dispersa com violência pela polícia. Outros segmentos acreditam que 130 manifestantes ficaram acuadas pelos policiais, e teriam entrado na fábrica, onde seus patrões as teriam trancado, e ateado fogo ao prédio, matando todas elas.

Os estudiosos que não acreditam na versão do incêndio, alegam que há uma confusão entre a greve de 1857, reprimida com violência pelos policiais, e a tragédia na fábrica Triangle Shirtwaist Company, que aconteceu em 25 de março de 1911, também em Nova York, quando cerca de 140 operárias foram mortas em um incêndio causado pelas péssimas condições da fábrica. É importante lembrar que nesse período, as mulheres não tinham direitos civis como os homens.

No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida.

A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher.

Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

No dia 7 de agosto de 2006, foi sancionada a Lei n.º 11.340, conhecida popularmente como Lei Maria da Penha. O nome é uma homenagem à farmacêutica que sofreu violência do marido durante anos.  A lei é considerada um marco na história de luta das mulheres brasileiras contra a violência doméstica.

E hoje, comemoramos mais uma vez esta data, com muita festa, porém antes das homenagens pessoais, é preciso lembrar das mulheres que lutaram e lutam por essa data, e também das conquistas femininas que ocorrem nos últimos anos, nos espaços do mundo social, econômico, político e, por incrível que possa parecer, no doméstico. Apesar de todas essas conquistas, ainda há muito o que fazer.

Parabéns à todas as mulheres, seja a Ana, ou Mariana, talvez Joana, ou será Maria, Lia ou Sofia? Porém, todas elas são belas, ou Isabelas, o nome não importa. O que importa é o dia delas…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here