Disputa reuniu idosos de São Miguel Paulista, Vila Carrão, Vila Matilde, Suzano e Cumbica, entre outros

O Gueitebol foi criado em 1947 por Eiji Suzuki e trazido para o Brasil em novembro de 1978 por Matsumi Kuroki. Sendo assim, o esporte está no Brasil há mais de 30 anos, lugar onde concentra a maior colônia japonesa fora do Japão.
Na tarde desta segunda-feira, 17 de junho, os idosos moradores de São Miguel Paulista se reuniram com idosos de locais como Vila Carrão, Vila Matilde, Suzano e Cumbica, entre outros, para disputar o 2º Torneio de Gueitebol Deputado Joogi Hato organizado pela Associação Desportiva Nikkei. A disputa aconteceu no CDC Jardim São Vicente, Zona Leste de São Paulo.

Foto: Jairo Galdino

Quando o esporte surgiu em 1947 foi pensado apenas para crianças, mas com o tempo começou a ter grande aceitação entre os idosos por não exigir força física e sim o lado psicológico. “É um jogo muito interessante, porque usa muito a mentalidade e psicologicamente ele ajuda muito porque é um jogo de estratégia” conta Yoshigue Mikan, Presidente da Associação Desportiva Nikkei.
Kazuo, de 76 anos e jogador há 13, completa: “Tem a estratégia como de um jogo de xadrez, uma peça que desloca errado pode perder o jogo, principalmente o capitão, porque ele precisa usar um raciocínio rápido em apenas 10 segundos que tem para o jogar bater na bola.”
Uma curiosidade sobre o esporte é que durante os torneios os competidores só se comunicam em japonês e o árbitro que normalmente é brasileiro, precisa aprender a dominar o idioma. Antonio Brito, brasileiro, jogador e árbitro nos conta: “Aprendo no dia a dia com eles e o mais importante é aprender a contar até dez em japonês”.

Foto: Elioneide Silva

Neste campeonato os primeiros prêmios são para o 1º, 2° e 3° lugar das 4 quadras existentes no CDC. Além de levar um troféu para a casa cada um dos jogadores leva 3 quilos de arroz típico japonês para a casa.

Foto: Elioneide Silva