A morte do menino Miguel Silva, de 5 anos, em Recife, que cair do 9º andar do prédio no qual a mãe estava trabalhando. Afirma Mirtes Renata, que deixou o filho sob cuidados da patroa ao levar para passear o cachorro pertencente à empregadora. Miguel aparece em câmeras de segurança usando elevador e procurando pela mãe. ‘Vale R$ 20 mil, a dor de uma mãe que nunca mais verá seu filho?’, questionou Thelma citando a fiança paga pela patroa de Mirtes

A milionária e vencedora do “BBB20“, Thelma Assis se pronunciou em rede social após a morte do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos. A criança caiu do 9º andar de um prédio residencial ao acompanhar a mãe em dia de trabalho no centro de Recife, nesta terça-feira (2). A patroa da doméstica, mãe de Miguel, foi presa em flagrante, mas liberada em seguida ao pagar R$ 20 mil, afirma o “G1”. “Vale R$ 20 mil, a dor de uma mãe que nunca mais verá seu filho?”, questionou Thelma. No dia da morte de Miguel, vários famosos haviam abraçado uma luta antirracista no movimento “Blackout Tuesday”.

A CAMPEÃ DO BBB 20 THELMA, PEDE: ‘JUSTIÇA POR MIGUEL’

Thelma criticou a não identificação da patroa da doméstica Mirtes Renata, mãe de Miguel. “A carne mais barata do mercado é a negra. Expor a funcionária ao vírus (coronavírus), expor o filho dela à morte, mas não expor seu rosto à sociedade. Revoltante!”, indignou-se. “Justiça por Miguel”, pediu Thelma, alvo de comentários racistas na web, compartilhou uma foto do menino em sua última festa de aniversário. O caso do menino lembra a morte do estudante João Pedro no Rio de Janeiro durante ação policial, fato que levou Ludmilla a protestar.

A ATRIZ MAISA SILVA DIVULGA PETIÇÃO EM FAVOR DO MENINO MIGUEL

O namorado de Fátima BernardesTúlio Gadêlha reagiu protestou a morte de Miguel. “A patroa, que teve a identificação preservada pela Polícia, vai ser indiciada por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar”, escreveu o deputado federal, que recentemente lamentou a morte da avó. O cantor Kevin O Chris classificou a tragédia como “revoltante” e divulgou em seu Twitter uma petição. O post foi retuitado por Maisa Silva, que também pediu justiça para Miguel. No começo da quarentena, a apresentadora do SBT lamentou ato racista contra seu pai.

A MORTE DO MENINO MIGUEL

A Mãe do menino Miguel, Mirtes teve a companhia do filho em dia de trabalho em um edifício conhecido como “Torres Gêmeas” no centro da capital pernambucana. A morte do menino ocorreu por volta das 13h após uma queda do nono andar – cerca de 35 metros -; a doméstica trabalhava no quinto andar.

As imagens das câmeras de segurança mostram Miguel dentro de um elevador acionando vários botões. Segundo o perito criminal André Amaral, ele procurava pela mãe e foram encontrados vestígios da passagem do garoto perto da casa de máquinas do edifício.

A queda ocorreu após a quarta aleta de uma grade de alumínio quebrar. Ao “NE1”, jornal local da Globo, a mãe de Miguel afirmou que deixou o filho sob os cuidados dos patrões ao sair para passear com o cachorro da família deles. E que trabalhava para o prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker, e para a mulher dele, Sair Corte Real.

Com colaboração de conteúdo de Purepeople

Visite nossa página Acontece Agora no Facebook e faça parte da nossa comunidade.

Conheça a Página Inicial do Nosso Site para conhecer as notícias do dia!