Davi Alcolumbre orquestrou, deu a ordem para Simone Tebet e “com quem interessa” ficou decidido que o projeto de abuso de autoridade será aprovado em tempo relâmpago.

A proposta original, que poderá ser votada e aprovada com facilidade amanhã na CCJ e no plenário do Senado, era o projeto de iniciativa popular com as 10 medidas para combater a corrupção.

Em uma fatídica sessão na madrugada na Câmara, em 2016, porém, deputados desfiguraram por completo a ideia, dando força, entre outras coisas, ao ponto que trata do abuso de autoridade.

Na noite da terça-feira da semana passada, Rodrigo Pacheco, relator do projeto — que estava parado até então no Senado — recebeu a informação de que teria de apresentar o seu voto na sessão da CCJ do dia seguinte. Durante a leitura, ele mesmo admitiu que passou a noite fazendo o relatório. Claramente foi pego de surpresa.