Em Nova York, a State University of New York (SUNY) suspendeu um estudante de pedagogia de grades obrigatórias; a razão é que o aluno Owen Stevens postou vídeos no Instagram que desafiam a famigerada “ideologia de gênero” e lançam um olhar conservador sobre o tema. A informação é do Daily Wire.

Num dos vídeos que Owen Stevens publicou ele afirma que “um homem é um homem, uma mulher é uma mulher. Um homem não é uma mulher e uma mulher não é um homem.”

https://www.instagram.com/tv/CH6R687JKWm/?utm_source=ig_web_button_share_sheet

O caso foi parar na administração da universidade e o reitor notificou formalmente Stevens, ao argumento de que sua postura científica sobre biologia está “em conflito” com a Lei de Dignidade para Todos os Estudantes do estado.

“Você continua a sustentar: ‘Eu não reconheço o gênero que eles afirmam ser se não forem biologicamente desse gênero’”, disse o reitor. “Esta posição pública está em conflito com a Lei da Dignidade para Todos os Alunos, que exige que os professores mantenham um ambiente de sala de aula protegendo o bem-estar mental e emocional de todos os alunos”.

Segundo o Daily Wire, Owen Stevens permanecerá suspenso de atividades práticas do curso, até que consinta em participar de um “plano remediador”, que abrange deletar os vídeos polêmicos do Instagram, diminuir a frequência de posts nas redes sociais e participar de “treino” oferecido pela universidade.

A ideologia de gênero, defendida pela “esquerda progressista”, dita que o sexo biológico é irrelevante na identidade sexual de alguém. Cada pessoa pode escolher “seu próprio gênero”.

Fonte: Estudos Nacionais / Imagem em destaque: Michael Loccisano/Getty Images