Ação será feita para dar visibilidade ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, passageiros poderão ter uma experiência sensorial e vivenciar esportes paralímpicos

O Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência será neste sábado (21).  E com o objetivo de dar visibilidade a causa e mostrar o bom relacionamento da Companhia do Metrô com esses passageiros, nesta sexta-feira (20), a partir das 12h, no mezanino da estação Tatuapé, o Metrô realizará um grande evento.

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) montará uma Arena, com 96 metros quadrados de estrutura,  onde os passageiros poderão ter uma experiência sensorial ao vivenciar os esportes paralímpicos, como atletismo, basquete, rugby, tênis de mesa, entre outros.  Na ocasião, os atletas terão a oportunidade de explicarem as modalidades que praticam, esclarecerem as dúvidas e curiosidades dos passageiros, além de interagirem com o público.

O evento também contará com apresentação do Ballet de Cegos, composta por 20 dançarinos, além das apresentações musicais dos integrantes da Banda Tribo de Jah (deficientes visuais) e da Banda dos Seguranças do Metrô.

Acessibilidade e inclusão

O Metrô de São Paulo é pioneiro e referência no atendimento às pessoas com deficiência. Todas as estações são acessíveis e os funcionários plenamente capacitados para atender a essas pessoas. Diariamente, cerca de 2 mil pessoas com deficiência são atendidas pelos funcionários.

Os mais de 3 mil metroviários da operação recebem treinamentos anuais para prestar o melhor atendimento a todos os usuários, inclusive aos deficientes. Parte significativa destes necessita ser monitorada e conduzida nas dependências do Metrô. Soma-se a isso um grupo de mais de 300 Jovens Cidadãos que auxiliam nos períodos de maior fluxo. O Metrô promove o acompanhamento desses usuários com assistência direta até o embarque no trem, seguindo as orientações do procedimento e treinamento específico, de modo que na estação de desembarque tenha outro colaborador para acompanhar com segurança a pessoa com deficiência até a saída da estação.

O Metrô também mantém parcerias com instituições de reabilitação para treinamento do deslocamento do público idoso e deficientes visuais nas estações e trens. Grupos de deficientes visuais, inclusive, fazem a visita tátil, que auxilia o aperfeiçoamento da estrutura.

Os PCDs têm atendimento preferencial nas linhas de bloqueio (catracas) das estações e todos os trens dispõem de assentos preferenciais, que são 30% do total, número acima do determinado por lei.

Também são feitas campanhas educativas frequentes em cartazes e mensagens sonoras, reforçando a necessidade dos idosos prestarem atenção nas escadas rolantes das estações, para segurarem nos corrimões e darem muita atenção aos degraus. É enfatizada a utilização preferencial dos elevadores..

Como resultado de toda essa estrutura de atendimento e acessibilidade, o Metrô foi eleito pela quinta vez consecutiva como o melhor serviço de transporte da cidade de São Paulo, de acordo com Instituto Datafolha, e também recebeu um prêmio da UITP (União Internacional dos Transportes Públicos), em 2015, por suas ações de relacionamento inclusivas.

Imagem em destaque/Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB