Coronavírus: associação oferece internet de graça para moradores de favela de BH fazerem cadastro do auxílio emergencial

Só nesta quarta-feira (8) 37 pessoas estiveram no local. Quatro voluntários ajudam àqueles que não tem internet e não conseguem se cadastrar.

Moradores da Vila Cafezal se aglomeram para fazer cadastro do auxílio emergencial — Foto: Cristina Pereira/Arquivo pessoal

“Dá espaço! Um metro! Um metro, gente”.

O alerta é do pessoal da Associação Comunitária da Vila Cafezal, favela que faz parte do Aglomerado da Serra, o maior de Belo Horizonte, localizado na Região Centro-Sul da capital.

A fila que se formou na entrada da sede é para fazer o cadastro do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal que só pode ser realizado pela internet.

O plano foi criado para atender informais, desempregados, microempreendedores e contribuintes individuais do INSS. Ele surgiu na tentativa de amenizar a crise provocada pelo avanço do novo coronavírus no Brasil.

Na favela, os documentos dos moradores são recolhidos e quatro voluntários acessam o sistema para facilitar o processo.

“O pessoal não tem internet. E tem a angústia de não conseguir cadastrar, né? A gente também ajuda no cadastro para receber a cesta básica municipal”, disse Cristina Pereira, a Kika, presidente da associação.

auxílio foi criado pela Prefeitura de Belo Horizonte para ajudar famílias que têm alunos matriculados na rede pública de ensino e pessoas que também estão em situação de vulnerabilidade.

Nesta quarta-feira (8), 37 pessoas fizeram os cadastros.

Só não pode ter aglomeração. “Dá espaço! Um metro! Um metro, gente”.