O maior supermercado atacadista da região de São Miguel e Itaim Paulista, localizado na Avenida Marechal Tito, Vila Curuçá, zona leste de São Paulo, foi formalmente interditado na tarde desta quarta-feira (21) por determinação da Subprefeitura do Itaim Paulista. O fechamento do supermercado foi realizado por um Agente Vistor da Subprefeitura acompanhado por representantes do Ministério Público (MP-SP), da Controladoria Geral do Município e apoio de uma viatura da Polícia Civil. A justificativa para a ação foi a falta de Alvará de Funcionamento da loja que funciona de forma irregular no bairro há vários anos. A tentativa de regularização culminou com o envolvimento da empresa atacadista em suspeita de corrupção ativa com pagamento de propina de 300 mil reais ao Coordenador da CPDU, órgão responsável pela fiscalização de estabelecimentos comerciais da Subprefeitura do Itaim Paulista.

O caso veio a público, nesta terça-feira (20), com uma Operação deflagrada pelo MP, CGM e polícia Cívil que culminou com a prisão do funcionário da subprefeitura do Itaim Paulista, Celso Gabriel Arruda, suspeito de receber propina da rede de supermercado atacadista, localizado há anos no bairro.
A Justiça de São Paulo emitiu um mandado de prisão temporária para o funcionário por suspeita de corrupção passiva, e também um mandado de busca e apreensão, que autorizou os promotores a entrar em sua casa, onde foram encontrados R$ 200 mil em espécie. Segundo afirmou o promotor Roberto Bodini: “Ele (funcionário) pediu R$ 300 mil para não fechar a loja. Não sabemos se ele chegou a receber esse dinheiro”.

O prefeito Bruno Covas determinou a exoneração ao bem do serviço público do agente público. E também por determinação do prefeito, o Controlador-Geral, Gustavo Ungaro, realizará uma auditoria em todos os processos conduzidos pelo ex-funcionário e vai instaurar processo de responsabilização da empresa que teria pago propina neste caso.


Nota da Subprefeitura do Itaim Paulista:
A ação de interdição ao supermercado, feita pelos agentes vistores da Subprefeitura do Itaim Paulista, aconteceu nesta quarta-feira, 21, com apoio da Polícia Civil, Ministério Público e Controladoria Geral do Município. O fato constitutivo do fechamento foi a infração do estabelecimento que se mantém em situação irregular, principalmente por não ter atendido notificação no prazo fixado de prévia licença de funcionamento.