Marcelo Odebrecht revelou aos investigadores o codinome que usava para se referir ao ministro José Dias Toffoli, presidente do STF, na empreiteira.

Marcelo Odebrecht coloca uma bomba no colo de Dias Toffoli, ao sugerir que havia um codinome do Ministro envolvido em conversas no mínimo suspeitas entre executivos da construtora e o atual presidente do STF, que seria o “amigo do amigo do meu pai”.

De acordo com o Estadão, o codinome foi citado em um e-mail de 13 de julho de 2007 enviado por Marcelo aos executivos Adriano Maia e Irineu Meireles. À época Toffoli era Advogado-Geral da União (AGU) no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Refere-se a tratativas que Adriano Maia tinha com a AGU sobre temas envolvendo as hidrelétricas do Rio Madeira. “Amigo do amigo de meu pai” se refere a José Antônio Dias Toffoli. A natureza e o conteúdo dessas tratativas, porém, só podem ser devidamente esclarecidos por Adriano Maia, que as conduziu”, diz o documento enviado por Marcelo.

O “amigo” é Lula.

O codinome “Amigo do meu pai” já tinha sido revelado anteriormente pela Lava Jato. O apelido se referia ao ex-presidente Lula, atualmente preso em Curitiba.

1 COMENTÁRIO

  1. Caramba, uma Corte que já teve grandes nomes de juristas e magistrados, hj está contaminada com pessoas com historico que mais parece uma folha corrida (capivara no jargão policial) e que serviram politicos corruptos. Acho que esta Corte é uma das piores composições que o STF já teve. A culpa é tbem dos Senadores que referendam o nome de qualquer indicado, sem conhecer seu passado e o seu notável saber juridico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui