Rodrigo Maia ameaça deixar articulação política da reforma da Previdência e deixa a saúde financeira do país refém de sua vaidade

Resultado de imagem para bolsonaro e maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, avisou nesta quinta-feira, 21, ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que vai deixar a articulação política pela aprovação da reforma da Previdência. Maia teria tomado a decisão após ler uma postagem do vereador Carlos Bolsonaro, do PSC do Rio de Janeiro, com fortes críticas a ele.

De acordo com a jornalista Mônica Bergamo, o deputado disse que a responsabilidade por buscar votos para a reforma da Previdência será de Jair Bolsonaro, e não mais dele. Conforme interlocutores do presidente da Câmara, ele também disse ao ministro da Economia que a partir de agora fará a “nova política” (alusão à de Bolsonaro): não fazer nada e esperar por aplausos das redes sociais.

No twitter a deputada Janaína Paschoal questionou a decisão de Maia:

“Quando o Presidente da Câmara ameaça deixar a Reforma da Previdência, pergunto: ele está pensando no Brasil? Se ele gosta do Presidente e de seus filhos não importa. O que importa é que trabalhe pelo que é melhor para o Brasil! O país precisa da Reforma. A questão é matemática!”

O presidente da Câmara Respondeu:

“Nunca vou deixar de defender a reforma da Previdência.”

A reforma da previdência divide a opinião de muita gente. Infelizmente, muitas pessoas são contra a reforma sem ao menos entender por que a mudança do sistema previdenciário é vital para o país a médio e longo prazo, principalmente para a população mais pobre.

Lamentavelmente, a maioria das pessoas contrárias à reforma da previdência segue clichês, “#hashtags” ou opiniões de celebridades que não entendem absolutamente nada de economia e finanças.

Além disso, Bolsonaro precisa que a reforma passe, uma derrota nesse quesito será péssimo para a continuidade do governo. O Brasil tem pressa e não pode ficar a merce dessa disputa de ego