A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, na tarde desta quarta-feira (3), em segunda votação, o projeto de lei que cria o voto virtual.

Pela nova regra, os vereadores poderão votar algumas matérias de dentro do gabinete – não vão precisar mais ir até o plenário. A medida não valeria para projetos relevantes, que gerem despesas para o município.

O PL agora irá para a sanção ou veto do prefeito Bruno Covas (PSDB).

Se sancionada, a mudança permitirá que vereadores não estejam no plenário na hora da votação de textos de menor importância, como denominação de ruas, datas e concessões de homenagens, como títulos de cidadão paulistano.

Projetos como esses costumam ser votados em pacotes – votações de várias projetos de uma só vez, por maioria, sem a necessidade de o parlamentar ir ao microfone para dizer se é contra ou a favor.

São projetos que lotam a pauta e muito usados por vereadores para agradar apoiadores e atender pedidos de eleitores. Segundo a Câmara, os vereadores poderão estar, por exemplo, no gabinete na hora da votação.

Ainda não está definida a plataforma onde o vereador poderá votar no gabinete, caso o projeto seja aprovado.

Fonte: As informações são do portal de notícias ‘G1’.