Durante a curta passagem do ex-presidente Michel Temer pela prisão, uma sátira publicada no perfil do Facebook do arquiteto e colunista, Eduardo Afonso viralizou na web. Trata-se de uma carta que Dilma Rousseff “escreveu” para Temer.

A sátira foi muito bem elaborada, e vale a leitura:

“Michel,

Primeiramente, escrevo esta carta do fundo do meu coração no que se refere a sentimento, que é uma coisa muito importante que a pessoa ela sente e ela precisa demonstrar. O pai tem, a mãe tem, e ter não é mais importante do que ser, conforme dizem os filósofos, que são pessoas que pensam sobre os sentimentos, como os gregos que eram filósofos também e inventaram o esporte olímpico, que nos deixou o legado.

Eu e você, nós tivemos nossas diferenças, o que é uma coisa natural entre duas pessoas, ou entre 3, 4, 5 pessoas, ou mesmo entre animais, que a gente trata como pessoas porque o cachorro ele é o melhor amigo do homem e a cadela é a melhor amiga da mulher, e o cachorro trans é o melhor amigo trans do homem trans, e isso é uma coisa importante de lembrar nesta data, que é um dia. Um dia que depois vem uma noite, e a noite é uma criança – por isso não posso deixar de falar do cachorro.

Você fez uma cachorrada comigo, Michel, mas eu te perdoo, no que se refere a que eu foi por sua causa que me tornei ex e agora gasto 600 mil por ano viajando pra lá e pra cá às custas do povo para falar mal do Brasil no que se refere ao golpe. Sem você, eu teria que morar mais dois anos naquele palácio horroroso que a gente não sabe onde é a porta onde é a janela, cheio de rampa sem corrimão que é uma coisa muito importante no que se refere a acessibilidade e se não fosse o Bessias me ajudando a subir e a descer eu teria me estabacado diuturnamente pelo menos 3 vezes por semana. Sem contar as vezes que teria errado a vidraça da porta e tentado sair pela vidraça da janela.

Mas tergiverso, Michel. Porque estou perplecta com o que te aconteceu. Perplecta e estarrecida no que se refere a delação premiada, que é uma coisa que eu não sei se você sabe, tem um ditado que diz que farinha pouca meu pirão primeiro. E pirão é feito com mandioca, e a farinha da mandioca é uma coisa importante na alimentação do homem nordestino, da mulher nordestina e do povo do nordeste, do sudoeste e de todos os pontos cardeais. Não faça delação premiada, Michel. Ou, se fizer, não lembre da mandioca.

O presidente Lula não fez delação premiada e não entregou a si próprio no que se refere a ser o chefe da organização criminosa. Ele está sendo submetido a torturas na prisão, no que se refere a ter que ler livros. Eu li 3 livros uma vez a minha vida inteira e ainda tenho pesadelos com esse trauma. Essa tortura é algo que não se apaga como o interruptor ou volta para dentro do dentifrício.

Você foi o meu vice decorativo, e é de coração que lhe peço que não caia na tentação de contar aquelas coisas que a gente combinou no que se refere a verbas, contratos e porcentagens que são uma coisa muito importante no que se refere a contabilidade paralela. Como você é um homem culto, que estudou mesóclises, sabe que as paralelas têm uma coisa em comum que é o rabo do cachorro. O rabo do cachorro, e isso eu aprendi na política, é parte do cachorro mas é mais rápido que o cachorro, por isso o cachorro nunca alcança o rabo.

Você pode ter ficado magoado por eu ter te chamado de golpista, que é uma coisa muito importante no que se refere ao impítimã, mas você sabe que eu às vezes me enrolo um pouco com as palavras porque eu penso muito depressa, e quando eu penso eu sou o cachorro e o meu pensamento é o rabo do cachorro.