Audiências serão realizadas a partir das 9h desta terça-feira (13), no fórum, na Região de Curitiba. Edson Brittes deve ser o primeiro a ser interrogado.

Edison Luiz Brittes Júnior, assassino confesso do jogador Daniel, deve ser o primeiro a ser ouvido — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

Os sete réus do processo que investiga a morte do jogador Daniel Correia Freitas serão interrogados pela Justiça na terceira fase de audiências, que começa nesta terça-feira (13).

Essa vai ser a primeira vez que eles serão ouvidos pela Justiça desde que ocorreu o crime, em outubro do ano passado.

Edison Brittes Junior, assassino confesso do jogador, deve ser o primeiro a ser ouvido. As audiências serão realizadas apartir das 9h,no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Nas outras fases das audiências, foram ouvidas as testemunhas de acusação e defesa. Quatro delas ainda devem ser ouvidas nesta terceira etapa.

Daniel foi encontrado morto com sinais de tortura em uma área rural de São José dos Pinhais. Edison Brittes disse que o matou porque ele tentou estuprar a esposa dele, Cristiana Brittes.

Edison Brittes disse à polícia que matou Daniel porque o jogador tentou estuprar a esposa dele — Foto: Reprodução/Facebook

Os depoimentos, conforme a Justiça, devem encerrar até quinta-feira (15). Depois dessa etapa, as partes envolvidas terão um prazo para apresentar as alegações finais. Na sequência o juiz deve decidir se os réus vão ou não a júri popular.

Dos sete réus, cinco estão presos. Allana Brittes, filha de Edison, deixou a prisão na quarta-feira (7). Ela teve um pedido de habeas corpus aceito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A decisão foi unânime dos cinco ministros da 6ª Turma, segundo o STJ.

A filha de Edison e Cristiana, Allana Brittes, é ré no processo sobre a morte do jogador Daniel e responde em liberdade — Foto: Giuliano Gomes/PRPress

Os depoimentos estavam marcados inicialmente para os dias 5, 6 e 7 de agosto, e foram alterados para a partir desta terça depois de um pedido de um dos advogados, que defende Ygor King e David Willian da Silva, e que também possui cliente réu na Operação Rádio Patrulha, que tinha audiências marcadas para as mesmas datas.

Confira, abaixo, quem são os réus e por quais crimes foram denunciados

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
  • David Willian da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho.
Do lado esquerdo (família Brittes) e do lado direito (Eduardo Purkote). O grupo se reuniu em um shopping após o crime, conforme investigações — Foto: Reprodução