O espaço localizado na zona leste reabrirá alguns de seus espaços para promover a geração de renda, o empreendedorismo e o bem estar da população local

O Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, equipamento localizado no extremo leste da cidade, retomará algumas de suas atividades a partir da próxima quinta-feira, 10 de setembro.  O coworking público Teia, a sala de costura e o espaço de lazer e convivência do equipamento voltarão a funcionar seguindo todas as regras de distanciamento e higiene decretadas pelos órgãos de saúde como medidas de segurança no combate à pandemia do coronavírus. A reabertura dos espaços tem como objetivo incentivar a geração de renda na região e a saúde da população local.

O Teia, escritório compartilhado gratuito que tem como objetivo levar a infraestrutura de coworking para as regiões periféricas da cidade, retomará suas atividades, reabrindo para os empreendedores locais que querem gerar renda. O espaço já recebeu dezenas de empreendedores que estavam em busca de um local para trabalhar ou aprimorar seus negócios. Além do espaço físico com internet e sala de reunião, o Teia oferece mentorias e palestras para os empreendedores locais já estabelecidos e também para quem deseja começar seu próprio negócio, ação que é fundamental durante este período de crise econômica e que trará um diferencial para os empreendimentos durante a retomada econômica da cidade.

Para seguir todas as medidas de higiene e segurança, o Teia só poderá ser utilizado por meio de pré-agendamento, de segunda à sexta-feira, das 10h às 14h. A reserva do espaço pode ser feita pelo link www.adesampa.com.br/teia

O Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes também conta com uma sala de costura equipada com máquinas e utensílios essenciais para confeccção de roupas. O espaço será reaberto para a utilização de 10 costureiras que serão contratadas pelo Instituto Muda Brasil (Imbra), um dos participantes do Costurando pela Vida, programa de produção de máscaras e equipamentos de proteção da área da saúde.

As profissionais são alunas formadas pelo curso de Moda e Costura oferecido pelo Centro de Formação Cultural que já capacitou mais de 670 costureiras do extremo leste da capital. As alunas recebem aulas práticas e teóricas de costura e produção de roupas. A ação tem como objetivo apoiar a geração de renda dessas mulheres pensando na vocação econômica da região.

As costureiras contratadas irão confeccionar 200 mil máscaras que serão distribuidas para nos equipamentos da Prefeitura à população em situação de vulnerabilidade.

Já o espaço de convivência e lazer funcionará das 10h às 16h de segunda à sexta. Localizado no último andar do Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes, o espaço é aberto e conta com árvores e bancos para o lazer da população e também para a prática de atividades físicas.

Todos os ambientes reabertos seguirão os protocolos de higiene e distânciamento social necessário para promover o bem estar da população e evitar a propagação do novo coronavírus.