Evento contou também com o lançamento de política pública de apoio à empreendedores que atuam com moda

O Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes recebeu neste sábado, 15 de junho a cerimônia de encerramento do curso de Economia Criativa: Moda e Costura, que qualificou tecnicamente 56 alunas para atuar profissionalmente e gerar renda nas áreas abordadas. O curso é parte do programa de qualificação profissional de média duração promovido pela Fundação Paulistana de Educação, Tecnologia e Cultura, entidade vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. Com carga horária de 104 horas e três turmas simultâneas, nos períodos da manhã, tarde e noite, a formação teve início no mês de março.

A celebração de conclusão do curso foi acompanhada da apresentação de três desfiles, realizado pelas próprias alunas, com temas diversos como Taj Mahal e Maria Antonieta. O conteúdo abordado durante as aulas foram as operações básicas em máquina reta e overloque; modelagem, que ensinou a montagem técnica de peças básicas de confecção para promover a qualidade na produção do vestuário; sociedade e cidadania, que estimulou o senso crítico dos alunos para pensar a vida em comunidade. Nos encontros, os participantes aprenderam técnicas de corte e costura, modelagem, além de oferecer orientações sobre como gerar renda sendo um empreendedor.

Na ocasião, a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, anunciou o lançamento da Fashion Sampa. A política pública tem como objetivo promover a empregabilidade e a geração de renda da população no setor da moda, além de criar uma rede de contatos entre os setores.

“A moda e costura são cada vez mais vocações da nossa cidade e uma ótima maneira de gerar renda por meio da economia criativa. Com as ações realizadas pelas áreas da Secretaria, vamos capacitar pessoas para empreender ou se inserir profissionalmente nessa área tão promissora”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso

Com a nova política de geração de renda, os munícipes da capital poderão se qualificar e participar de diversos programas da Pasta. Por exemplo, pelo Mãos e Mentes Paulistanas, que é voltado à artesãos e manualistas, os participantes podem se cadastrar para fazer parte do programa e assim expor e comercializar suas produções em feiras e ventos promovidos pela Prefeitura de São Paulo.

A Ade Sampa – Agência São Paulo de Desenvolvimento oferecerá também qualificação profissional e ações de empreendedorismo com cursos, palestras e oficinas sobre competitividade, mercado e gestão de negócios. O CATe – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo e a equipe do MEI – Microempreendedor Individual também estará disponível para orientações sobre formalização, emissão de boletos, documentos e acesso a microcrédito.

A política também atuará com ações de combate à pirataria e incentivo ao desenvolvimento local, promovendo a compra e venda de produtos regionais, além de apoiar o consumo sustentável, evitando o desperdício e o impacto ambiental e social.

Após o término do desfile, a equipe da Ade Sampa se reuniu no auditório do Centro de Formação Cultural para debater sobre os desafios de empreendedor no mercado da moda. O encontro, mediado pela secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, apresentou as novas formas de geração de renda na cidade

Durante o encontro, os participantes também discutiram sobre a implantação do segundo espaço Teia da cidade de São Paulo, esse voltado ao setor da moda e costura. O Teia é um espaço colaborativo de trabalho que oferece acesso à internet, sala de reunião, oficinas, palestras e mentorias de maneira gratuita como uma forma de estimular o networking entre os empreendedores locais.

A primeira unidade foi inaugurada em 22 de maio, pela prefeitura de São Paulo, dentro da Biblioteca Pública Érico Veríssimo. A gestão do espaço, escolhida por meio de um edital lançado pela Ade Sampa, é realizada pelo Movimento Eco Cultural, uma associação sem fins econômicos que possui como objetivo defender interesses sociais por meio do desenvolvimento sustentável e promovendo princípios de pluralismo cultural e plena cidadania.

Fonte: Prefeitura de São Paulo – Secretaria Desenvolvimento Econômico e Trabalho