Grafite ‘A Transformação’ pintado por André Mogle celebra 10 anos da Desenvolve SP

O que a arte de rua e uma instituição financeira têm em comum? São muitas as afinidades que se revelam entre os dois universos ao observamos a nova obra criada pelo artista André Mogle – cujo trabalho está exposto em diversos endereços famosos da cidade – para a Desenvolve SP, a agência de fomento paulista que incentiva a inovação e a preservação do meio ambiente financiando projetos de pequenas e médias empresas voltados ao desenvolvimento de uma economia cada vez mais vez mais verde, dinâmica e sustentável.

O painel, batizado de ‘A Transformação’, tem 60m² foi grafitado pelo artista na fachada da agência, chamando a atenção de quem passa pela Rua da Consolação, na região central de São Paulo. Além desse, um segundo mural também ocupa o mezanino do prédio – acessível apenas para funcionários – e dialoga com a obra externa com objetivo de impactar também o público interno.

“Ambos os painéis fazem parte das ações de 10 anos da instituição. Porém, mais do que um projeto que celebrasse a data, apresentamos à cidade uma obra que traduz o impacto da atuação da instituição em todo Estado, tornando visível o nosso propósito com o desenvolvimento sustentável da sociedade, valor essencial da marca Desenvolve SP”, explica Sabrina Henrique, superintendente de comunicação da agência e responsável pela concepção da campanha.

Foi com esse objetivo, portanto, que o artista foi convidado para assinar o projeto. No universo do grafite, o viés conceitual das obras de Mogle busca sempre traduzir a necessidade de equilíbrio entre o homem e o meio ambiente. É o que ele chama de Sintropia, representada pelo seu personagem central (presente em todos os seus painéis) que é um homem feito de folhas e troncos. “Meu personagem não tem nome, as pessoas são livres pra chamá-lo como quiserem. O importante é a mensagem que ele carrega de que o desenvolvimento é necessário, mas ele precisa ser consciente e organizado”, destaca Mogle.

O conceito criado pelo artista trouxe a simbiose perfeita à campanha e a transformação que a Desenvolve SP mantém como principal foco de sua atuação. “Ao longo da sua trajetória, a Desenvolve SP tornou-se um agente fundamental para o incentivo à economia paulista, mas tem consciência de que um bom resultado financeiro e operacional só resultará em ganhos realmente positivos para a sociedade se estiver alinhado às práticas de sustentabilidade”, completa Sabrina.

Arte Urbana e o universo corporativo

A aproximação entre dois universos tão distintos não é exatamente uma novidade, mas de fato vem ganhado muito mais força nos últimos anos, principalmente pela necessidade das empresas em dialogar de forma mais próxima com seu público, utilizando a arte como ferramenta para tradução das mensagens-chaves, bem como da essência de sua atuação.

Nesse sentido, empresas com viés de inovação, startups e de tecnologia saíram na dianteira e trouxeram a arte de rua para dentro dos escritórios. Google, Neos Creative e WeWork são alguns bons exemplos.

Em 2017, a Cacau Show entrou para o Guiness Book com o maior mural de spray do mundo, em Itapevi, pela obra do artista Eduardo Kobra que retrata o processo produtivo das origens do cacau brasileiro, principal matéria prima da empresa.

Agora, a Desenvolve SP se junta ao seleto time em uma iniciativa de vanguarda para uma instituição financeira. “Crédito com propósito virou a marca dessa campanha, e o mural concebido pelo Mogle retrata, sobretudo, a transformação e o viés de inovação e sustentabilidade que é a marca da Desenvolve SP”, explica Sabrina.

A trajetória do artista

André Mogle tem 34 anos, é natural de São Paulo, e cresceu no bairro de Sapopemba, Zona Leste da cidade. Seu primeiro contato com o grafite foi em 1997, quando participou de um concurso para grafitar o muro da escola. A partir dali, percebeu que queria ser artista. Fez um curso técnico de desenho, tornou-se arte-educador e em 2014 viu a sua carreira ganhar visibilidade quando juntou-se a cerca de 70 artistas num mega projeto para pintar o maior corredor de grafite a céu aberto da América Latina, com 4 Km de extensão na Radial Leste, no caminhos dos torcedores ao Itaquerão na época da C o p a .

O trecho pintado por Mogle se destacou e ganhou várias enquetes, levando o trabalho do artista para o exterior. A partir de então, ele passou a se dedicar exclusivamente ao grafite e trazendo, inclusive, a temática ambiental para sua obra. O conceito de sustentabilidade virou a principal marca da sua obra, bem como seu personagem um “homem-planta” sem nome que representa o equilíbrio do concreto com a natureza.