Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, o espaço foi aberto com tratores e correntões para o uso agrícola. A área estaria arrendada para uma mineradora.

Uma área de quase 1 mil hectares foi desmatada sem autorização ambiental na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. As terras ficam dentro de comunidades kalungas e o bioma estava absolutamente preservado antes dos tratores e correntões devastarem as árvores e animais do local. A Secretaria de Meio de Ambiente vistoriou o território nesta quinta-feira (4) e embargou a ação que estava em andamento em duas fazendas.

A secretária estadual de Meio Ambiente, Andrea Vulcanis, diz que a situação é grave no local desmatado. Uma fazenda já teve 530 hectares mapeados e há suspeita que as terras sejam de um único proprietário. A Delegacia de Meio Ambiente também investiga o caso.

“Detectamos quase 1 mil hectares desmatados em território kalunga. Um caseiro que estava no local disse que a terra está arrendada para uma mineradora e seria usada para fins agrícolas. A ação usou tratores e correntões para desmatar e isso arrasta árvores e animais do local, que estava absolutamente preservado com mata virgem”, disse Vulcanis.

Durante a fiscalização feita no local, as equipes da secretaria e da polícia apreenderam 300 toneladas de calcário, um minério usado para controlar o solo em exploração agrícola. Segundo Vulcanis, a área estava sendo preparada para uma supressão ainda maior, mas foi paralisada pelos agentes policiais.

“Uma área plana e propícia para a agricultura mecanizada. Vamos investigar de fato qual a destinação dessa área. Não admitimos intervenções ambientais que não sejam feitas de forma adequada e autorizada”, comentou a secretária.

Imagens mostram o desmatamento

A Secretaria de Meio Ambiente comparou as imagens de satélite registradas em junho e comparou com as imagens de maio. Assim conseguiu identificar o desmatamento dentro do território quilombola e da área de preservação ambiental de Pouso Alto.

Metade da vegetação foi destruída no mês passado, segundo a secretaria. A região fica no complexo do Prata, conhecido pelas cachoeiras do Rio Prata na Chapada dos Veadeiros.

Vulcanis explica que o território kalunga é administrado pelo governo federal, porém toda a área de meio ambiente, de supressão de vegetação e autorizações são da secretaria estadual.

Desmatamento na Chapada dos Veadeiros, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera