Dos 47 Clubes Esportivos da cidade, 34 foram revitalizados, e o Clube da Vila Curuçá não tem previsão nem para 2021, o que é uma cegueira da gestão atua da Secretaria de Esportes”
O mais tradicional Centro Esportivo Municipal da região chegou no fundo do poço. Conhecido no bairro por Clube Esportivo Curuçá, o C.E.Sen. José Ermírio de Morais já teve seus dias de glória, sendo considerado a maior referência na área esportiva da nossa região. O clube tem mais de 60 mil metros quadrados de área total, com piscinas, tobogã, quadra poliesportiva e de tênis, play ground, equipamentos de ginástica para terceira idade, uma extensa área verde e um salão de Eventos.

O Clube está sem uma reforma a mais de 10 anos, sendo que as últimas melhorias feitas foram em 2004 (reforma da piscina) e em 2006 (reforma da quadra e alambrados). A última pintura feita no clube (apenas para melhorar o visual) foi feita a 4 anos, quando o jornalista Divaldo Rosa (diretor deste jornal), buscou apoio da Cia Níquel Tocantins e da Nitro para fazer a pintura e um grafite nos muros externos. “Foi somente uma maquiagem para levantar a moral do Clube, mas deu certo e o local ganhou uma sobrevida, graças ao empenho e dedicação dos funcionários e da então Coordenadora do Clube Vanuza Pinheiro”. No ano passado fizeram uma pequena reforma na sala de ginástica artística, mas nada além disso.

Continua após o anúncio...

Apesar de o clube estar “esquecido” há vários anos pela Secretaria Municipal de Esportes, foi na última gestão do secretário Mauricio Bezerra Landim, indicado pelo Partido Progressista (antigo PP) que a crise se acentuou, culminando com a exoneração da gestora do clube, sem qualquer explicação e sem sequer se preocupar em colocar um sucessor imediato. Nem mesmo nomeou provisoriamente um funcionário de carreira para responder interinamente pela administração do clube, o que permanece até hoje. Com a pandemia, vários funcionários tiveram que ficar em casa, por ser de grupo de risco, aumentando ainda mais a sensação de abandono do clube.

Suspeitas de Fraude em contratos de licitação da SEME

Recentemente o Ministério Público de São Paulo instaurou dois inquéritos para apurar supostas irregularidades em pregões eletrônicos realizados durante a pandemia pela Secretaria Municipal de Esporte de São Paulo (Seme) na gestão do secretário Maurício Bezerra Landim. Segundo o MP a Seme lançou sete editais para substituir os 12 contratos de prestação de serviços contínuos vigentes nas áreas de limpeza, monitoramento aquático e segurança, firmados entre 2014 e 2019 e com cláusulas de renovação anual.

Em seis deles, a empresa vencedora foi a que deu o lance mais alto, segundo denuncia anônima recebida pelo MP. No sétimo, a empresa vencedora foi a que deu o segundo lance mais alto. Em todos eles, a mesma funcionária responsável pelo pregão, Fernanda Rodgerio Costa, desclassificou as primeiras colocadas, inclusive algumas empresas que há anos tinha contratos com a secretaria. Esta funcionaria ocupa cargo em comissão por indicação do atual secretário Maurício B.Landim.

No mês de setembro a Secretaria de Esportes publicou a exoneração de vários coordenadores dos Clubes Esportivos, sendo uma delas a Vanuza Pinheiro do Clube da Vila Curuçá, que trabalhava no clube a mais de 4 anos, sendo mantida por 5 secretários, “devido ao seu elevado comprometimento e profissionalismo”, segundo disse um ex-secretário que a manteve no cargo em sua gestão.

“Assim que as novas empresas ganharam as licitações de limpeza e vigilância eu percebi que elas não estavam cumprindo os contratos como deviam e como eu era a primeira titular do contrato, cabia a mim a responsabilidade de fiscalizar. A empresa de limpeza mandou a sua equipe no começo do contrato sem enviar qualquer material de limpeza ou equipamento de limpeza pesada. Mas o maior problema que o Clube estava tendo era com a empresa de segurança Jumper”, disse Vanuza. (Segundo denuncia do MP a Jumper foi vencedora do pregão 12/2020, realizado em julho deste ano, com oito empresas desclassificadas até que a Jumper fosse declarada vencedora, com a maior proposta de R$ 2,95 milhões mensais).

Exonerado por defender o Clube da Curuçá

Ainda segundo a ex coordenadora do Clube Curuçá, ela estranhou o fato de ser removida como titular do contrato de segurança do clube em meados do mês de setembro e em seu lugar ser nomeado o Waldir Martani, diretor do DGE – Departamento de Gestão de Equipamentos Esportivos da Seme, que nunca pisou no clube. “eu fui tirada do contrato como titular depois que fiz várias reclamações de que a Jumper não estava cumprindo a contento o contrato, que previa dois seguranças durante o dia e dois à noite. No turno da noite a Jumper estava mandando apenas um segurança que geralmente prestava serviços também em outro clube, durante o dia, prejudicando o seu trabalho noturno no Clube Curuçá e esta prática persiste até hoje. Enviei reclamações por email e reclamei pessoalmente ao diretor do DGE Waldir Martani, por telefone, já que dificilmente conseguia falar com o supervisor da empresa, a quem perguntei como ele iria fiscalizar um contrato da Jumper à distância?”, disse Vanuza.

Alguns dias depois destas reclamações, a coordenadora Vanuza Pinheiro, considerada pela própria SEME como uma das melhores coordenadoras de Centros Esportivos da cidade, foi exonerada sumariamente, sem qualquer explicação e sem que a SEME indicasse outra pessoa para substituir. Além dela, a SEME exonerou outros três coordenadores na mesma época, e segundo informações que obtivemos, todos haviam reclamado desses novos contratos.

Abandono e Invasões

Por todas estas razões, falta de manutenção, poucos funcionários ativos, ausência de vigilância noturna que não dorme no ponto, tudo isto favoreceu a volta das invasões e depredações do clube, no período noturno. Os vândalos sentem-se à vontade e chegaram a derrubar parte do muro no fundo do clube e cortam as telas com alicate de pressão. Quem paga por toda essa falta de zelo com a coisa pública são os usuários do clube, que reclamam do estado de abandono e falta de manutenção, mas não podem fazer nada.
Além disso, a pintura velha, a ferrugem e o aspecto geral dão a impressão de que o clube está fechado e abandonado, quando na verdade ele ainda está funcionando precariamente.

Depoimentos

“A Coordenadora Vanuza Pinheiro foi a mais presente coordenadora deste clube que eu freqüento o clube da Vila Curuçá, a mais de 15 anos. Qualquer dia que a procurasse ela estava lá trabalhando com total comprometimento. Ela fazia questão de participar de todos os passeios da Terceira Idade, nos parques e bailes promovidos pela Secretaria. Dentro do clube ela resolvia os problemas e mesmo com poucos recursos, o clube sempre estava em condições de uso. Lamento a sua saída sem justificativas”. Dona Iracema Flor Robaquine – Aposentada e frequentadora do clube a mais de 15 anos.


“Eu tenho mais de 18 anos de projeto social no Clube do Curuçá e nos últimos quatro anos da Gestão da Vanuza, conheci um pessoa sem palavras em termos de ser humano e caráter. Uma profissional muito prestativa e atenciosa, que nos recebia sempre que precisava e resolvia os problemas com uma capacidade de administração fora do comum. Bem diferente dos seus antecessores, uma pessoa que vai fazer muita falta. Importante destacar que foi na gestão da Vanuza que o voluntariado do clube foi visto e lembrado pela Secretaria de Esportes. O Clube está praticamente parado por causa da pandemia e ela já está fazendo falta. Imagina quando abrir o clube?” Mestre Romualdo J.Almeida – Coordenador do Projeto Educando Corpo e Mente e Hapkido

—-

Nota da Secretaria de Esportes

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME) informa que administra 47 Centros Esportivos. A meta de revitalizar 33 clubes até o final de 2020 foi superada. Já foram concluídas as obras em 34 clubes. A revitalização do CE Santo Amaro vai terminar até o dia 30 de dezembro. No total, a Prefeitura terminará o ano com 35 Centros Esportivos revitalizados. Em anexo, a lista dos CEs revitalizados. O Centro Esportivo Curuçá ainda não está na relação dos clubes que terão obras em 2021. A SEME vai apurar eventuais problemas na segurança no Centro Esportivo senador José Ermírio de Moraes.