Reportagem do Acontece voltou a visitar o logradouro depois de um ano após da primeira denúncia; moradores se queixam que a construção segue paralisada

Fotografia: (Eduardo Rocha).

Henrique Santos: Há um ano, quando nossa reportagem visitou pela primeira vez a interligação da Avenida José Aristodemo Pinotti com a Avenida Imperador, o cenário era de total abandono. Hoje, após apurar as novas denúncias, os moradores ainda sentem amargamente e se queixam do descaso do poder público.

Sem previsão para ser concluída, as obras que deveriam facilitar a vida de milhares de pessoas e desafogar o trânsito tanto para a população de Vila Curuçá quanto de bairros adjacentes, segue congelada e num “pingue-pongue” até que se resolva o problema.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

Projetado em 2010, na gestão do Secretário Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras,
Marcos Penido, a expectativa era de que, no máximo, o complexo viário estivesse concluído em dois anos. Mas, infelizmente, não foi o aconteceu. Burocracias e falta de gestão de representantes públicos, levaram o local a se tornar um verdadeiro covil para acidentes de veículos e doenças transmitidas por ratos, mosquitos, baratas e afins.

“[…] acho uma vergonha não fazerem nada nesse lugar. De um ano pra cá só cortaram o mato. Sem falar na infestação de ratos e baratas  por falta de dedetização”, conta uma moradora que não quis se identificar.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

A pauta voltou à tona durante a gestão do ex-prefeito e candidato ao estado de São Paulo, João Dória, diante da repercussão das denúncias veiculadas no Jornal Acontece Agora. Porém, bastaram alguns empecilhos para que o caso fosse jogada novamente para “debaixo” do tapete e caísse no esquecimento.

Fotografia: (Eduardo Rocha).

“Eu fico muito triste porque nasci aqui e fui criado nesta rua, mas esse lugar está abandonado desde o tempo da minha avó. A prefeitura só vem aqui, promete, promete e nada de concreto. Quem mora aqui está jogado e esquecido pelo poder público. Só lembram de quem mora aqui nessa época de eleições”, lamenta Robson Carlos Silva, microempreendedor da  região de São Miguel Paulista.

Com um futuro incerto e empurra-empurra, os moradores seguem prejudicados. Ainda sim, no olhar de quem mora na Vila Curuçá, há esperança para que a situação seja resolvida.

Outro lado

Entramos em contato com a Subprefeitura de São Miguel Paulista para tratar sobre as obras paradas na interligação da Avenida José Aristodemo Pinotti com a Avenida Imperador. Em nota, a assessoria de imprensa e comunicação informou que a retomada da construção não compete a gestão do bairro, e, sim, a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB).

Tentamos contato com a (SIURB), mas até o fim desta matéria não houve qualquer posicionamento a respeito do tema.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here