Estação mais fria do ano, o inverno 2021 no Brasil começou oficialmente na madrugada desta segunda-feira (21), que também é o Dia Nacional de Controle da Asma. Criada pelo Ministério da Saúde, o objetivo da data é disseminar informações corretas sobre essa doença inflamatória crônica, caracterizada por episódios de obstrução das vias aéreas, que atinge mais de 6,4 milhões de brasileiros com idade acima de 18 anos.

Tosse, falta de ar, chiado, dor ou aperto no peito formam o quadro sintomático da asma, comumente confundida com um resfriado, gripe ou outras inflamações típicas do clima frio e seco. Rinite, sinusite e, principalmente, bronquite são erroneamente usadas como sinônimos de asma. A bronquite é a inflamação dos brônquios, marcada por tosse úmida com catarro abundante, e que geralmente acomete as crianças.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), a asma varia muito de pessoa para pessoa e em um mesmo indivíduo. Há épocas que pode ser muito leve e os sintomas desaparecerem. Em outras, no entanto, pode piorar e fazer o doente necessitar de atendimento de emergência e até mesmo internação. Algumas crises podem ser mais fortes que as outras.

Continua após o anúncio...

A causa exata dessa enfermidade ainda não é conhecida, mas acredita-se que é provocada por um conjunto de fatores: genéticos (história familiar de alergias respiratórias – asma ou rinite) e ambientais.

A asma não tem cura, porém há tratamentos que melhoram muito os sintomas e proporcionam seu controle. Mesmo que a pessoa não tenha nenhum sintoma, ela está presente. Assim, asmáticos tratados podem ter uma qualidade de vida igual a de qualquer indivíduo saudável.

O tratamento deve ser feito de forma personalizada e, na maioria dos casos, utiliza-se medicamentos inalatórios, que devem ser prescritos e orientados por profissional habilitado.

Comorbidade para Covid-19

A asma grave – assim como a DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), a fibrose cística, fibroses pulmonares, as pneumoconioses, a displasia broncopulmonar – é uma pneumopatia considerada comorbidade para a Covid-19. Pessoas a partir de 18 anos de idade que têm a doença já podem se vacinar contra o coronavírus.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) reforça que, aos primeiros sintomas destes males respiratórios, deve-se procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para investigar a situação e iniciar um tratamento.

Somente um profissional de saúde pode indicar a melhor medicação e a dose adequada tanto para doenças respiratórias quanto para alergias e viroses.

A maioria dos asmáticos pode ter uma vida normal, sem necessidade de privações. Basta evitar o contato com gatilhos como poeira, fumaça de cigarro, pelo de animais, mofo, pólens, poluentes no trabalho, usar regularmente a medicação indicada e passar por atendimento periódico.

Para saber mais sobre as doenças respiratórias comuns nas estações frias do ano, assista ao episódio do AtivaIdade abaixo (https://www.youtube.com/watch?v=MeY-RGlEtu4&t=5s) . O programa vai ao ar toda sexta-feira no canal da SMS no YouTube.