Trem da CPTM na estação da Luz, em São Paulo — Foto: Diogo Moreira/Governo de São Paulo

Venda em vagões e estações é ilegal. Projeto piloto busca capacitar vendedores para que possam empreender e criar o próprio negócio.

Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o Sebrae desenvolveram um projeto piloto para capacitar vendedores ambulantes que atuam nos trens e estações da empresa. Inicialmente, o curso receberá 48 alunos. As vagas estão esgotadas. No entanto, mesmo após a conclusão do curso, os vendedores não poderão atuar dentro dos trens.

“Eles não poderão circular pelos trens. O comércio ambulante é ilegal perante a lei. Estamos atuando cada vez mais intensamente para que consigamos acabar com essa prática. Em paralelo, com essa atuação com o Sebrae, desenvolver um processo de qualificação, esperamos que eles possam crescer”, explica o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

Dentro do curso, os alunos terão aulas que ensinarão temas como: marketing, fluxo de caixa e como lidar com os negócios.

“O projeto é para que possamos receber os comerciantes ambulantes, aqueles que atuam de forma ilegal, em parceria como Sebrae, visa que nós possamos traze-los para a formalidade. A busca pelo curso foi intensa e enorme. Após formalizarmos os alunos, esperamos que eles sejam capazes de empreender. Esperamos que espaços nas estações da CPTM também possam ser colocados à disposição”, finaliza o secretário.