Ao menos três automóveis foram atacados por pedras na quarta-feira (1º). Em sete meses, 10 veículos foram apedrejados entre a Marginal Tietê e a Ayrton Senna na capital.

Criminosos estão atirando pedras em veículos para tentar assaltar motoristas na Rodovia Ayrton Senna, na Zona Leste de São Paulo.

Só na quarta-feira (1º), no primeiro dia de janeiro de 2020, ocorreram três ataques, mas os condutores não pararam na via e, por esse motivo, não foram roubados. Os bandidos fugiram e não foram identificados ou presos.

Nos últimos sete meses, foram ao menos 10 ações criminosas parecidas entre o fim da Marginal Tietê e o começo da Rodovia Ayrton Senna: bandidos usando pedras contra automóveis para tentar roubar os motoristas.

Procurada para comentar o assunto, a Polícia Militar (PM) respondeu que faz patrulhamentos ostensivos na região.

O método é quase o mesmo: os assaltantes arremessam as pedras quando os carros passam. Alguns motoristas param no acostamento para verificar o que provocou o barulho no veículo e são roubados.

Mais de um milhão de veículos passaram entre o dia 27 de dezembro e 3 de janeiro na rodovia.

Só na quarta-feira foram três ataques perto do km 14 da Ayrton Senna. Todos à noite no sentido interior da rodovia, no trecho que fica na altura do Parque Ecológico do Tietê.

Carro atingido por pedra na Ayrton Senna teve retrovisor quebrado e porta do lado do motorista amassada — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Carro atingido por pedra na Ayrton Senna teve retrovisor quebrado e porta do lado do motorista amassada — Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Vítimas

“Senti o impacto, tomei um pequeno susto. E chegando em casa verifiquei que tinham arremessado uma pedra contra o veículo”, disse o supervisor de segurança, Luís Leite, um dos motoristas que teve o carro atacado por pedras.

Por segurança ele não parou o carro na rodovia e viu depois o dano no veículo. “Amassou o capô do meu carro”, falou Luís.

“Estava dirigindo na faixa da esquerda na altura do Parque Ecológico quando ouvi e senti um barulho muito forte na porta. Logo em seguida notei que estava sem o espelho retrovisor do meu lado”, disse outro motorista atacado na mesma rodovia. Ele não quis ser identificado.

Nesta quinta-feira, a reportagem encontrou pedras entre o muro de proteção e a rodovia, e que podem ter sido colocadas ali pelos bandidos.

Os ataques ocorrem sempre a noite ou de madrugada. Os bandidos aproveitam a escuridão e a distração dos motoristas. Se escondem entre as árvores e a mureta que separa a via do parque para atacar.

Na portaria do parque, os funcionários dizem que o local tem segurança 24 horas, mas não há câmeras de vigilância. E que a Polícia Rodoviária já apareceu para investigar os casos.

Em 2018

No fim do ano passado, outro motorista foi atacado na Ayrton Senna: levou uma pedrada que atravessou o vidro do carro e atingiu seu ombro esquerdo, machucando-o.

Ele gravou um vídeo logo assim que conseguiu parar o carro em segurança.

“Jogaram uma pedra daqui, me acertaram, e olha quanto caco. Mas a graças a Deus, só me atingiu aqui, não sei como que está. Olha o tamanho da pedra que jogaram”, falou o motorista ferido na gravação.

Três carros são atingidos por pedras arremessadas na rodovia Ayrton Senna

O que diz a PM

“A Polícia Militar realiza policiamento ostensivo e preventivo nas vias com grande concentração de fluxo de veículos, visando coibir os crimes contra o patrimônio e contra a vida. É importante que as pessoas que tiverem seus veículos danificados não parem na via e procurem um posto policial mais próximo. O caso ocorrido no túnel do Anhangabaú foi registrado pelo 13º DP e é investigado. É importante que os casos sejam comunicados para autoridade policial por meio do boletim de ocorrência, seja eletrônico ou presencial, para que os crimes possam ser investigados e os autores punidos.”