Marcelo Crivella não gostou das perguntas que a repórter Larissa Schmidt fez, em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (11), sobre o decreto de calamidade da Prefeitura do Rio de Janeiro, e a empurrou diante doutros jornalistas presentes. O momento da agressão foi exibido durante o “Jornal Nacional”, que ainda mostrou a fala do prefeito contra a emissora.

Resultado de imagem para crivella empurra repórter

O político afirmou que, na cobertura do temporal da última segunda-feira (8), a Globo fez “drama” com coisas “corriqueiras”. “É impressionante como a Rede Globo de Televisão é absolutamente contra a cidade do Rio de Janeiro. É a televisão que anuncia, o tempo todo, os problemas do Rio, que faz drama sobre coisas corriqueiras que acontecem nas nossas vidas desde que eu nasci aqui”, disparou o prefeito.

A jornalista, então, questionou: “O senhor acha que o aconteceu foi um drama corriqueiro? Perdão, prefeito, o senhor acha que o que aconteceu, a pior chuva em 22 anos, foi um drama corriqueiro?”. Irritado, Crivella vira de costas para a repórter e a ignora. “Dá licença, dá licença, vou falar para cá“, disse, virando o olhar para os jornalistas de outros veículos.

a

“Dez pessoas mortas, prefeito, desculpa”, insistiu a repórter. “A cidade do Rio de Janeiro… Não, não, não, não quero falar com vocês. É um direito que eu tenho“, cortou o prefeito, empurrando a jornalista. Em seguida ele atacou a Globo. “O que a Globo quer é dinheiro na sua propaganda. O que ela quer é que a gente faça uma festa no carnaval, e ela possa vender R$ 240 milhões com a prefeitura pagando todo o carnaval”, desabafou.

O outro lado

Após a reportagem, William Bonner leu uma nota de repúdio da emissora carioca à atitude do prefeito com a jornalista e respondeu as críticas dele. “A Globo repudia a atitude do prefeito Marcelo Crivella de afastar a repórter Larissa Schmidt dos jornalistas que cumpriam a obrigação de entrevistá-lo. A Globo também repudia a afirmação de Crivella de que a emissora fez drama com coisas corriqueiras na cobertura jornalística do temporal de segunda-feira”, afirmou

“A Globo cobriu uma tragédia que tirou a vida de dez cariocas. E cumpriu a obrigação jornalística de mostrar que a prefeitura demorou a acudir a população. Um fato reconhecido pelo próprio prefeito, num momento raro de autocrítica”, acrescentou.

O apresentador do “JN” ainda comentou sobre o Carnaval e se solidarizou com a profissional do canal. “A Globo lamenta também as declarações descabidas de Marcelo Crivella quanto ao carnaval. A Globo compra os direitos de transmissão das escolas de samba – e paga um valor quase seis vezes maior do que aquele que elas recebem de subvenção da prefeitura. A Globo se solidariza com a repórter Larissa Schmidt e, mais uma vez, com os cariocas. Em especial, com as famílias dos mortos na tragédia“, finalizou.