Cursinho da Poli e Itaú BBA promovem evento que debate as relações do Ensino Médio e o mundo do trabalho.

Na última quinta-feira, 12, por volta de 800 estudantes do Cursinho da Poli (SP), participaram da 21ª edição do Jornada de Trajetórias de Vida. Realizado com o apoio da Fundação PoliSaber e patrocínio do Itaú BBA, o evento promoveu debates com o objetivo de estimular reflexões sobre o profissional que o futuro exigirá, suas competências e habilidades, compartilhando experiências que auxiliem o jovem na elaboração de sua trajetória de vida, passando pela escolha de curso acadêmico e apontando possibilidades de inserção no mundo do trabalho. Durante toda a programação, os jovens assistiram palestras com ex-alunos, coletivos de periferia, profissionais do mercado de trabalho e representantes de diversas áreas de atuação do Itaú, como: comunicação, jurídico, design e negócios inclusivos.

Na primeira parte do evento, ex-alunos do cursinho tiveram a oportunidade de compartilhar suas histórias de vida e desafios profissionais. Em seguida, Ana Inoue, assessora de Educação do Itaú BBA, e Thaís Siqueira, jornalista e idealizadora do jornal comunitário Coletivo Desenrola e Não Me Enrola, abordaram o tema, “Os caminhos durante e depois do Ensino Médio”. Logo após, os estudantes se dividiram em quatro mesas de debates com a presença de profissionais de diversas áreas de atuação, que abordaram os seguintes temas: as carreiras do século XXI, empreendedorismo, diálogos com profissionais e reflexões sobre as trajetórias de vida.

Para a assessora de Educação do Itaú BBA, Ana Inoue, a troca entre profissionais e jovens é o ponto forte da Jornada. “No passado eram poucas opções de cursos superiores. Hoje são mais de mil ocupações, com inúmeras variações. A realidade será outra no futuro e, por isso, muito mais importante do que escolher uma carreira tão cedo, é manter a capacidade de aprender e aprofundar o seu conhecimento”, esclareceu.

“A motivação é uma das forças do evento”, explicou o diretor do Cursinho da Poli, Gilberto Alvarez Giusepone Jr, o professor Giba. “O objetivo da Jornada é fazer com que os alunos possam se inspirar e ter um processo de escolha de trajetória de vida”, disse.

A estudante Raquel Oliveira, 18 anos, que participou do evento comenta: “Percebi que qualquer que seja sua origem, sua história, precisamos continuar lutando por nossos sonhos, não desistir”. Já o estudante de 21 anos, Robério Silva, conseguiu enxergar um pouco de si nas histórias de vida dos profissionais durante os debates. “Ao ver que pessoas com trajetórias parecidas como a minha alcançaram objetivos, tenho certeza que estou no caminho certo”, garantiu a jovem.

O Jornada de Trajetórias de Vida é realizado anualmente e dá oportunidade a todos os estudantes do Ensino Médio de debater o seu futuro profissional.   Att,