Quinze detentas fazem curso superior na modalidade a distância de dentro da penitenciária

O recomeço é o que muitos que estão no sistema prisional desejam. Essas detentas do  Centro de Progressão Penitenciária do Butantã, encontraram uma grande oportunidade de reverter a situação contrária em que se encontram. Através de um projeto de uma universidade particular, elas estudam dentro da penitenciária de segunda a quinta pela manhã, e na sexta fazem aulas presencial na universidade.

As detentas estudam o mesmo conteúdo que os alunos que estudam dentro da Universidade e em dois anos já terão o diploma de curso superior.  “Essa é uma grande oportunidade, pois muitos acham que não podemos sair da prisão e mudar de vida” disse Bárbara Dantas Machado uma da detentas. A dificuldade para encontrar emprego para quem é ex-presidiário é maior, mas através desse projeto espera-se diminuir a barreira para recolocação no mercado de trabalho e na sociedade de uma forma digna.

“No estado de São Paulo, existem mais de 2.700 detentas em regime semi-aberto, porém no entanto, somente 15 dessas foram agraciadas com esse projeto que tem a intenção de conquistar novas parcerias de outras universidade particulares e públicas que estejam dispostas a apostar na recuperação do ser humano”, disse Henrique Neto, diretor executivo da FUNAP (Fundação Dr. Pedro Manoel Pimentel).

Por: Josué Emidio