Popularmente conhecida no mundo todo como gripe, a infecção aguda do sistema respiratório provocada pelo vírus Influenza é uma síndrome que ocorre durante o ano todo, porém é mais frequente no outono e no inverno, quando as temperaturas caem.

O vírus da gripe tem grande potencial de transmissão, propaga-se facilmente e é responsável por elevadas taxas de hospitalização. Os idosos, crianças, gestantes e pessoas com alguma comorbidade (doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade) têm maior risco de desenvolver complicações.

A doença causada por Influenza pode se apresentar como Síndrome Gripal, que é o mais frequente, ou como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com sinais e sintomas que podem indicar maior gravidade. A Covid-19, inclusive, é uma delas.

Continua após o anúncio...

Sintomas da Síndrome Gripal

Febre de início súbito, acompanhada de tosse ou dor de garganta, e pelo menos um dos seguintes sintomas: dor de cabeça, muscular ou nas articulações, sem outro diagnóstico. Em crianças com menos de dois anos são comuns tosse, coriza e obstrução nasal.

Os sintomas da gripe costumam melhorar em uma semana. A febre (temperatura maior que 37,8°C) declina após dois ou três dias do início da doença. A tosse, a fadiga e o mal-estar podem persistir por algumas semanas.

Sintomas da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Acomete indivíduos de qualquer idade. Apresenta dispneia (falta de ar), sinais de desconforto respiratório e queda da pressão arterial. A SRAG também pode ser caracterizada pela queda do oxigênio no sangue.

Por isso, e principalmente em tempos de pandemia de Covid-19, aos primeiros sintomas de gripe, é importante procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para diagnóstico, testagem e tratamento (consulte a unidade mais próxima pela plataforma Busca Saúde).

Dúvidas mais comuns

Como a gripe é transmitida?

A gripe é propagada de pessoa para pessoa por meio da fala, tosse ou espirro de indivíduos infectados com o vírus Influenza. Também pode ocorrer quando há contato, por meio das mãos, com objetos contaminados e, em seguida, tocando a boca, nariz ou olhos.

Uma pessoa adulta com gripe pode transmitir o vírus, principalmente nas 24 horas antes do início dos sintomas e até três dias após o final da febre, o que corresponde mais ou menos a sete dias depois do estabelecimento da doença. As crianças e os pacientes imunocomprometidos com gripe podem transmitir o vírus por mais tempo.

Quem faz parte do grupo de risco?

Todas as pessoas estão sujeitas à uma gripe porém os idosos, com 60 anos ou mais, as crianças menores de cinco anos de idade, as gestantes e puérperas (mães de recém-nascidos), além daqueles que têm doenças crônicas (diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica, deficiência imunológica), com obesidade mórbida e também com doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como anemia falciforme, são mais vulneráveis à infecção por Influenza.

Quanto tempo dura uma gripe?

A gripe geralmente tem cura espontânea em sete dias, embora a tosse, o mal-estar e a fadiga possam permanecer por algumas semanas.

O quadro pode complicar?

Algumas pessoas de grupos de risco podem evoluir com complicações como sinusite, otite, desidratação e piora das doenças crônicas. Entre elas estão insuficiência cardíaca, asma, diabetes e pneumonia primária, que ocorre predominantemente naqueles que têm doenças cardiovasculares ou em mulheres grávidas, além de pneumonia bacteriana e infecções por outros vírus, inclusive o coronavírus e suas variantes.

Confira as dez medidas eficazes na prevenção da gripe e outras doenças respiratórias:

• Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel, principalmente antes de consumir algum alimento;

• Utilize lenço descartável para higiene nasal;

• Cubra o nariz e a boca ao tossir ou espirrar;

• Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

• Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

• Mantenha os ambientes bem ventilados e evite espaços fechados;

• Evite contato próximo a pessoas que apresentem sintomas de gripe, seja em casa, no trabalho ou na escola. Caso apresente sinais, afaste-se destes locais;

• Evite sair de casa em período de transmissão da doença, como também aglomerações;

• Adote hábitos saudáveis como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

• Não perca a oportunidade de tomar a vacina.

A vacina é prevenção ativa

A melhor maneira de se prevenir contra o vírus Influenza é vacinar-se anualmente. A vacina é aplicada em campanhas nacionais, nos meses que antecedem o inverno, período de maior transmissão da doença.

O público-alvo é definido pelo Ministério da Saúde e na capital paulista, a Secretaria Municipal da Saúde deu início à campanha 2021 no dia 12 de abril, pelo grupo formado por crianças, gestantes e mulheres que acabaram de dar à luz, povos indígenas e trabalhadores da saúde. A vacinação está sendo realizada em escolas e instituições de ensino, para não chocar com a campanha contra a Covid-19, garantindo proteção a um público que ainda não recebeu o imunizante contra o coronavírus.