Localizado no Distrito de São Miguel, o Jardim Pantanal sofre com a ausência de saneamento básico. A região está localizada numa Área de Proteção Ambiental (APA) junto à várzea do Rio Tietê, no limite com a cidade de Guarulhos e possui aproximadamente 25 mil moradores.

Segundo o morador Dil, o problema ocorre há anos. “Além da falta de água, sofremos com o mal cheiro. Além disso, carecemos de um asfalto de qualidade. Já buscamos a Subprefeitura local, a Sabesp, porém, nada foi feito, estamos esquecidos pelo poder público. Temos muitas crianças e idosos no local, e precisamos de uma solução”, conta indignado.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 1,5 milhão de crianças menores de 5 anos acabam morrendo por causa da doença relacionadas à falta de esgotamento sanitário. Cerca de 100 milhões de brasileiros ainda não possuem serviços de coleta de esgoto e tratamento de água em seus locais de residência, e esse cenário é uma ameaça para qualidade de vida da população.

“Nós só utilizamos água, quando temos a bomba em casa, isso quando ela não vem com barro. É um caos. Temos que viver com dignidade. Estamos cansados de promessas, precisamos de alguém que nos ajude”, finaliza a moradora Alessandra.

Para o jornalista e Diretor do Jornal Acontece Agora, Divaldo Rosa, “as subprefeituras mais periféricas devem realizar um plano de ação para as comunidades mais populosas. É preciso ter um olhar mais sensível para povo, entender as suas dificuldades e apontar um caminho para as suas soluções”, finaliza.