Relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo, obtido com exclusividade pela GloboNews, aponta a existência de 409 obras na área de educação paradas ou atrasadas atualmente em São Paulo.

Delas, 300 são de responsabilidade das prefeituras e 109 do governo estadual.

De acordo com o levantamento, R$ 518,9 milhões já foram pagos pelo governo e por prefeituras paulistas para a execução desses projetos. Os contratos iniciais das obras somam R$ 885 milhões.

O relatório consiste em uma reanálise de outros dois levantamentos realizados pelo TCE no primeiro trimestre. Em um deles, técnicos da Corte de contas estadual identificaram 219 obras paralisadas com valores de contrato superiores a R$ 1,5 milhão.

Esses dados foram levantados a pedido do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conforme revelou a GloboNews no dia 27 de março. Em outro levantamento, o TCE mapeou um total de 1.677 projetos parados ou atrasados em todo o Estado (incluindo as 219 obras com informações encaminhadas ao CNJ).

Uma das obras mapeadas pelo TCE neste novo relatório é o Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, projeto idealizado pelo ex-prefeito Luiz Marinho (PT). Por decisão do atual prefeito Orlando Morando (PSDB), o terreno onde era construído o museu dará lugar a uma Fábrica de Cultura, tocada em parceria com o governo do estado de São Paulo.

Segundo o Tribunal de Contas do Estado, a inclusão desse projeto nas obras de educação se deu porque há a previsão da realização de atividades educacionais no local.

Fonte: As informações são do portal de notícias ‘G1’.