imagem: internet

O final do 2º semestre chegou e com ele vem a tão esperada pausa para o descanso muito aguardado por todas as crianças: as férias escolares do meio do ano! É um momento de de alegria ampliado pelo clima festivo de diversão e lazer. Mas, vale lembrar que é uma época que pais ou responsáveis precisam ficar atentos e não podem descuidar da saúde alimentar das crianças.

Com a chegada das férias, a rotina de alimentação e atividades físicas, que são regulares em escolas, creches e outras instituições, pode ficar comprometida, com a ausência de um horário definido ou por comidas não tão saudáveis e brincadeiras que promovem pouca movimentação do corpo.

Durante as aulas, existe um maior controle de horários para alimentação e brincadeiras. Nas férias, a tendência é ter uma liberdade maior para comer qualquer coisa e passar muito tempo assistindo televisão ou jogando videogame. É importante ter essa liberdade, mas é fundamental que seja algo supervisionado para não trazer prejuízos à criança.

Marcia Silva é mãe do Pedro Breno, que tem 4 anos, e acredita que a alimentação adequada nessa época é importante para manter saúde do filho, mas também porque é um aprendizado que a criança leva para toda a vida. “Eu acho legal deixar a criança ajudar no preparo dos lanches e da comida, por exemplo. Eu deixo o Breno me ajudar a fazer vitamina, cortar frutas com uma faca sem serra, fazer salada de frutas, preparar bolos e pão integral. Depois, ele come com muito mais prazer, porque ele ajudou a fazer e aprendeu como preparar a comida”, explica.

nutricionista Viviane Galvão

A nutricionista Viviane Galvão dá algumas dicas simples de seguir para manter uma alimentação saudável durante as férias. “Oferecer bastante água para as crianças e tentar garantir que as refeições sejam realizadas no horário, evitando que elas pulem refeições ou substituam por lanches. Além disso, estimular a alimentação saudável com frutas, verduras, legumes, arroz, feijão e carnes, evitando o excesso de doces e bebidas açucaradas”.

A atividade física é outro ponto fundamental para o crescimento e desenvolvimento das crianças e que não pode ser esquecido quando elas estão longe da escola. Nesse período, é comum que as crianças queiram passar longas horas do dia sem fazer qualquer atividade física diante de um aparelho de TV, celulares, tablets ou videogames. Vale lembrar que a atividade física beneficia o combate à obesidade, previne as temidas DCNT’S (Doenças crônicas não transmissíveis) como: diabetes, hipertensão… auxilia o sistema imunológico, fortalecendo assim a resistência dos praticamente e ajudam no desenvolvimento do corpo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada, o que, na prática, representa apenas 20 minutos por dia, o que pode ser pouco para tanta energia que uma criança tem acumulada durante as férias.

De acordo com Viviane, é fundamental estimular o ato de brincar em locais ao ar livre. “É importante destacar esse tempo, que deve ser de pelo menos uma hora, para a criança tomar sol, com atividades ligadas à natureza, para se divertir com brinquedos que estimulem a movimentação e que sejam menos tecnológicos, além de que esse tempo seja aproveitado em família”, finaliza.

por: Silmara Galvão