Casos de furtos preocupam moradores do Parque Paraitinga em Itaquaquecetuba

O aumento dos casos de furto no Parque Piratininga, em Itaquaquecetuba, faz com que muitos moradores evitem sair de casa para tarefas simples, como ir ao mercado. De acordo com a Polícia Militar, as ações são definidas de acordo com a análise dos índices criminais.

De acordo com os dados da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, na comparação entre o primeiro trimestre de 2019 e o mesmo período do ano passado, aumentou a criminalidade em Itaquaquecetuba. No ano passado, 364 furtos foram registrados. Já neste ano, de janeiro até março, foram 485.

A quantidade de veículos roubados também aumentou. Nos três primeiros meses de 2018 foram 115 e, no mesmo período deste ano, foram 142 veículos roubados.

Eli Inácio Felix da Silva levou uma facada durante um assalto. O crime aconteceu quando ele passava em uma praça no Parque Piratininga. “Eu não gosto nem de passar por aqui porque eu ia morrer aqui nessa praça por conta de insegurança.”

Segundo a vítima, não tinha iluminação no local e o assalto aconteceu por volta das 5h. “Eu fui descendo e fui abordado embaixo da árvore. O assaltante pediu meu celular. Eu disse que não tinha. Pediu dinheiro, cigarro e eu disse que não tinha e, automaticamente, me grudou pela blusa. Tivemos uma luta corporal e ele deu uma facada no meu peito.”

Em abril, Eli também teve o carro roubado na esquina da rua da casa onde mora com a família. A menos de 200 metros da praça tem um posto da Polícia Militar. Sem nenhuma viatura, a vítima diz que apenas um policial respondia pela segurança do local.

Outra vítima que prefere não ser identificada diz que foi assaltada em fevereiro deste ano quando andava pelo bairro com a filha.

“Estava de bicicleta. Ele já veio na intenção do celular e estava armado. Eu não sei identificar se era verdadeira ou falsa a arma. A gente fica totalmente vulnerável, né? Não pode sair com uma criança. Minha filha faz esse percurso para ir para a escola todo dia de manhã e a gente fica apavorada com o que pode acontecer.”

Logo na entrada do Parque Piratininga existe uma câmera de monitoramento. Apesar disso, José Carlos Quina, que é morador do bairro há 25 anos, conta que o equipamento não traz nenhuma segurança. “Não funciona”, diz.

A Prefeitura de Itaquaquecetuba disse que tenta contratar uma empresa para fazer a manutenção das câmeras do Parque Piratininga. Sobre a iluminação disse que o local está na programação de reparos da secretaria responsável.

Já a Polícia Militar, enviou uma nota dizendo que a 2ª Cia do 35° Batalhão é a responsável por patrulhar essa área e acrescentou que as estratégias de policiamento são definidas de acordo com a análise dos índices criminais.