Gilmar Mendes foi sorteado como relator do pedido feito ao STF para impedir as Forças Armadas de celebrar a instalação do regime militar em 1964.

“É inadmissível em um Estado Democrático de Direito que a autoridade maior do executivo
queira reescrever uma história há muito escancarada em sua perversidade e violações”, diz a ação

A celebração foi uma sugestão do Presidente Bolsonaro as Forças armadas. O tema é bastante polêmico e vem dividindo opiniões, inclusive entre apoiadores do governo.

O presidente no entanto reafirma seu desejo em celebrar a data ao postar no twitter a seguinte mensagem:

“Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada.” Roberto Marinho, Presidente da Globo, ao final do Regime Militar.