Painel de 360 metros quadrados, na Vila Mariana, representa a gaita, instrumento musical tradicional da Colômbia

Promover a cultura colombiana em São Paulo. Por meio de uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e a Embaixada da Colômbia no Brasil, o grupo colombiano “Vertigo Grafite” produziu uma obra de 360 metros quadrados na cidade. A obra de arte foi inaugurada neste domingo (22) na Vila Mariana, Zona Sul, próximo à Avenida 23 de Maio, uma das avenidas mais movimentadas da capital.

A obra apresenta a imagem de um personagem tocando gaita, instrumento musical da costa do caribe colombiano utilizado em diferentes ritmos musicais e de origem indígena. De acordo com o Diretor Artístico do grupo Vertigo, Camilo López, o mural artístico faz uma referência não só ao instrumento, como também à cultura afrodescendente do Brasil e da Colômbia. “Nesta parede temos tradição, arte e cultura. Ao pesquisar sobre os vínculos entre o Brasil e a Colômbia, identificamos que a música e a presença do afrodescendente são pontos em comum entre os dois países. Por isso, reinterpretamos um gaiteiro, personagem colombiano que faz parte da música, do carnaval e da herança indígena”, explica López.

As roupas do gaiteiro possuem desenhos com os nomes e as assinaturas dos principais grafiteiros de São Paulo. “Nós queríamos fazer uma união entre o grafite colombiano e o grafite brasileiro. Se você for pra Bogotá e depois para São Paulo, vai observar que a identidade visual das duas cidades se encontra em suas paredes. Para nós, era importante não só fazer um grafite bonito, como também relevante e coerente”, finaliza López.

“A obra expressa exatamente o que São Paulo é: um encontro de culturas. Cada detalhe foi pensado não só para apresentar referências colombianas, como também referências da cidade e do Brasil, como o nome dos principais artistas grafiteiros do País e de São Paulo. É uma homenagem não só à comunidade colombiana, mas também a história da arte urbana”, destacou o Secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

O projeto também faz parte da nova edição do Museu de Arte de Rua (MAR), uma iniciativa da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, que visa aprimorar a vocação da cidade para a produção de arte urbana e ampliar seu impacto positivo na cultura e identidade de São Paulo. Com trabalhos concluídos entre os meses de dezembro e janeiro, o projeto viabiliza cerca de 30 obras de arte urbana em diferentes suportes, como grafite e fotografia, sempre em grandes dimensões.