Um grupo de ambulantes atacou os vigilantes terceirizados da empresa GOCIL que estavam trabalhando na estação Pirituba da Linha 7-Rubi, no final da noite deste sábado (11/1).

Um grupo de ambulantes atacou os vigilantes terceirizados da empresa GOCIL que estavam trabalhando na estação Pirituba da Linha 7-Rubi, no final da noite deste sábado (11/1). Relatos em um grupo no Facebook cita mais de 50 envolvidos na tentativa de homicídio.

O motivo aparentemente seria o aumento das fiscalizações realizadas para coibir o comércio ambulante. Na hora não houve a chegada rápida da polícia e a agressão só terminou após o maquinista fechar as portas do trem, trem que também foi alvo de vandalismo e foi retirado da operação para passar por reparos de manutenção.

Os ambulantes fugiram e nenhum foi detido. Já os seguranças da empresa GOCIL foram levados ao PS da Barra-Funda, sendo que um deles foi transferido para a Santa Casa de Misericórdia, em razão das agressões que sofreu.

O caso foi registrado no 33°DP de Pirituba e a Polícia vai investigar o caso. Caso que é só mais um, da série de confusões que ocorrem desde o ano passado, onde os vigilantes que inclusive estão com desvios de funções tem que se respaldo algum, atuar na apreensão de mercadorias, ficando vulneráveis a essas ações planejadas que tem como objetivo, colocar medo nos funcionários. Este episódio mostra que o horário e contingente da polícia precisa não só ser ampliado, como também mudar o modo de atuação, já que no contrato firmado, a Polícia não atuará na apreensão de mercadorias do comércio ilegal.