Trabalho home office reduz as chances de contrair covid-19 em SP. Estudo sorológico divulgado pela prefeitura reforça a necessidade do home office.

De acordo com a terceira fase de estudo sorológico da prefeitura, que foi divulgado na quinta (13):

Possui escolaridade, alta renda e realizar home office, reduzem em até três vezes a chance de se contaminar com o novo coronavírus na cidade de São Paulo.

Entre os que trabalham em casa, a prevalência do vírus é de 6%. Já para quem precisa sair ela é de 18,5% e para os desempregados, 12,7%.

“Isso revela que quem trabalha se expõe e quem está desempregado sai em busca de emprego.”

“Provavelmente essa é a interpretação que podemos ter”, disse a secretária adjunta de saúde, Edjane Torreão.

O secretário Edson Aparecido não participou da apresentação dos dados por suspeita de covid-19, descartada no final da tarde.

Ainda de acordo com a testagem em massa na população, os jovens entre 18 e 34 anos são o principal público atingido pela doença, com 17,7% de prevalência.

“Queria ressaltar a importância da conscientização dos nossos jovens. Volta e meia a gente ainda identifica pancadões, festas irregulares.”

“Aqui tem também principal faixa etária que tem que sair para trabalhar, mas tem a responsabilidade dos jovens para com nossos idosos”, disse o prefeito Bruno Covas.

Visitas dos profissionais da saúde

Contudo, os profissionais de saúde visitaram 5.760 domicílios e testaram 2.532 pessoas para a pesquisa, que será realizada até a fase 8 a cada 15 dias para acompanhamento da população.

Entretanto, nessa amostra, a taxa de prevalência da infecção por covid-19 no município ficou em 10,9% da população analisada, com cerca de 1,3 milhão de pessoas com anticorpos para covid-19.

A terceira fase consolidou dados já apurados nas testagens anteriores:

Bem como a prevalência da doença na população preta e parda (82% maior do que os brancos) e que vive em regiões mais carentes da cidade.

Trabalho home office

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no país, 32% dos trabalhadores que estão em home office possuem ensino superior.

Entre os sem instrução, essa taxa é de apenas 0,3%.

No entanto, a estimativa do órgão é que 8,3 milhões de brasileiros estejam trabalhando remotamente, número que vem se reduzindo com a flexibilização nas cidades.

Ainda de acordo com o IBGE, aproximadamente 700 mil pessoas podem ter retornado ao trabalho presencial entre a primeira e a segunda semana de julho.

Foto: Getty Imagens

*Com colaboração de conteúdo de Metro Jornal

Visite nossa página Acontece Agora no Facebook e faça parte da nossa comunidade.

Conheça a Página Inicial do Nosso Site para conhecer as notícias do dia!