Grupos, igrejas e movimentos culturais estão envolvidos em doações de alimentos, fabricação de materiais de saúde e produtos de limpeza.

Com os impactos nas periferias da Grande São Paulo causados pela pandemia do novo coronavírus, iniciativas de moradores das bordas da cidade têm buscado diminuir os problemas relacionados a Covid-19.

Com as medidas de isolamento necessárias para evitar o avanço do vírus, várias famílias tiveram perda de renda e há ainda os problemas relacionados aos serviços de saúde. 

Acompanhe algumas campanhas que surgiram no período em diversos pontos da capital paulista e que buscam apoiar as quebradas por meio da solidariedade. 

Campanha 2000 Cestas Básicas

O Grupo Acontece de Jornais e Revista da zona leste de São Paulo está realizando arrecadação de alimentos para fazer cestas básicas para distribuir às famílias que durante esse período está passando por dificuldades. O alvo da campanha é alcançar 2000 cestas. Mais informações: local de arrecadação Av dos Guachos 166 – Vl Curuca. 11 97212-0309 (Divaldo Rosa) 98252-7019 (Ademir Rodrigues)

Ocupação Cultural Mateus Santos e o Movimento Cultural de Ermelino Matarazzo

Os movimentos estão recolhendo alimentos e produtos de limpeza para famílias da região. Mais informações: 11 97336-0808 ou 11 97633-6982. Para fazer transferência bancária, fale pelo número 11 97204-1464.

Quebrada Solidária 

Com o objetivo de reduzir o impacto social causado pela pandemia da Covid-19 na zona leste da capital, a ‘Okupação Cultural Coragem’, localizada em Ermelino Matarazzo, se juntou a outros grupos para mobilizar doações. Mais informações: Michele Cavalleri 11 99289-7608 ou Ozzy 11 95663-9659.

Catadores de materiais recicláveis 

Dezenas de cooperativas de reciclagem em São Paulo se juntaram em uma campanha para arrecadar recursos e doações de cestas básicas a mais de 750 famílias de catadores e catadoras que tiveram de parar o trabalho por conta da pandemia de coronavírus na cidade.

A Cooperpac, no Grajaú, e a Fênix Ágape, em São Miguel Paulista, são algumas associações beneficiadas. 

Distribuição de marmitas 

Na zona sul, Elaine Aloha e o rapper Mano Moneys lançaram campanha para produzir e distribuir marmitas em comunidades do Grajaú. Hoje, a dupla distribui ‘quentinhas’ na comunidade Suvaco da Cobra com apoio de centros comunitários. O preço de custo é de R$ 11 por unidade. 

Produção de máscaras 

O grupo Guardiões Pró-Vida, formado por professores, microempresários e alunos de diversas instituições, tem a finalidade de desenvolver soluções que auxiliem a área da saúde.

Uma das ideias é criar protetores faciais de baixo custo para serem doados aos hospitais da zona leste de São Paulo, que estão com problemas de EPI (Equipamento de proteção individual). Mais informações no site.

Doação de alimentos | Fundação Julita

Com atuação na região do Jardim São Luís, na zona sul da capital, a Fundação Julita mapeou 200 famílias em situação de maior vulnerabilidade para doar cestas básicas semanalmente.

Mais informações: para seguir as orientações de prevenção e evitar a circulação de pessoas, a Fundação Julita pede que a doação seja feita em depósito na conta bancária. Após o depósito, o comprovante pode ser enviado para [email protected] | Banco Itaú | Agência: 0738 | Conta corrente: 40458-1 | Em nome da Fundação Julita – CNPJ 62.805.759/0001-07. 

Obras Sociais Nossa Senhora da Graça

O Centro de Obras Sociais Nossa Senhora da Graça, na Capela do Socorro, na zona sul de São Paulo, retira doações de alimentos não perecíveis e produtos de higiene e limpeza na casa das pessoas para destinar a famílias pobres.

A coleta é feita na zona sul de São Paulo. Mais informações: ligue no número 11 5837-6448. Os interessados também podem contribuir financeiramente com transferência bancária no Banco do Brasil | Agência 3561-0 |  Conta corrente: 41514-6 | Em nome de Obras Sociais Nossa Senhora da Graça – CNPJ 02970204/0001-80.

MAIS OPÇÕES DE DOAÇÕES

Na terça-feira (7), a Rede de Apoio Humanitário das e nas Periferias lançou um mapa indicando as localidades que realizam doações de cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade na cidade. Ao todo, são mais de 70 espaços, entre eles associações, templos religiosos, coletivos e entre outros.

Formada logo após os primeiros casos do novo coronavírus (Covid-19) em São Paulo, a Rede de Apoio busca aproximar pessoas que desejam ajudar as famílias em vulnerabilidade de locais que já realizam essa assistência.