Jean Wyllys, que está autoexilado na Europa, atacou em entrevista à Época o presidente Bolsonaro. Ele rodou a Europa nas últimas semanas, onde espalhou seu discurso em que acusa Bolsonaro de estar envolvido com milícias.

Em entrevista à Época, Jean Wyllys foi questionado sobre como lidou com declarações que tentaram associar sua imagem ao atentado contra Jair Bolsonaro. Ele respondeu:

“Mas é óbvio que uma pessoa com dois neurônios, que faça uma sinapse, sabe que eu jamais poderia ser mandante de um crime, pois não sou assassino, criminoso, nem ligado à milícia. Quem é ligado à milícia é o presidente da República, não eu. Se alguém poderia encomendar uma morte era ele, não eu. E ademais esse atentado contra o Bolsonaro está para ser explicado. Se alguém quisesse de fato atentar contra a vida dele, usaria uma arma de fogo, um fuzil a longa distância e não uma faca de pão no meio de uma multidão.”