Laboratório clandestino falsificava álcool em gel misturando combustível com produto para cabelo em SP

0
475

Polícia Civil descobriu prendeu suspeito de vender mercadoria para ambulantes na Zona Leste. Consumidor achava que produto o protegia contra coronavírus.

A Polícia Civil descobriu um laboratório clandestino na Zona Leste de São Paulo produzia álcool em gel falsificado misturando álcool combustível com gel para cabelo. Um homem suspeito de vender a mercadoria para ambulantes foi preso.

Quem comprava o produto falsificado achava que estava se protegendo contra o risco de contágio pelo coronavírus ao limpar as mãos. Mas, além de ser enganado, o consumidor estava usando um produto nocivo à saúde.

Os investigadores localizaram a casa onde ocorria a produção ilegal após uma denúncia anônima. O imóvel fica no Jardim Imperador, na região do Aricanduva.

A polícia recomenda à população que fique atenta a procedência do álcool em gel, olhando o nome do fabricante e o selo de qualidade, para evitar que compre um produto falsificado.

A suspeita dos policiais é de que além de gel de cabelo, era usada etanol ‘batizado’ ou metanol.

Mais um caso

Mais um laboratório clandestino suspeito de fabricar álcool em gel falsificado foi descoberto pela polícia. Dessa vez na região da Represa Guarapiranga, na Zona Sul de São Paulo. O caso ocorreu na quarta-feira (25).

Após uma denúncia, policiais foram até um imóvel onde encontrou caixas com 120 frascos do suposto álcool em gel. A mercadoria foi apreendida e encaminhada para análise para saber do que ela é composta.