Mancha Verde a grande campeã do carnaval de São Paulo.

Vai-Vai e Acadêmicos do Tucuruvi foram rebaixadas para o Grupo de Acesso. Dragões da Real ficou em segundo lugar

As cinco primeiras colocadas do Grupo Especial, Mancha Verde, Dragões, Rosas de Ouro, Vila Maria e Império, vão participar do Desfile das Campeãs nesta sexta. A campeã e a vice do Grupo de Acesso também desfilarão.
A rainha da bateria Viviane Araújo vibrou muito com a vitória da Mancha Verde. O resultado da apuração saiu na tarde desta terça-feira, 5. É o primeiro título da escola. “Ganhamos! Eu queria estar lá com todo mundo, estou muito feliz. Foi lindo, a gente fez um trabalho lindo, a escola se preparou para isso o ano todo,… Estou muito feliz e sexta-feira vamos fazer mais uma linda festa no Anhembi”, disse ela.

Fatos marcantes da história da escola de samba.
No começo do ano de 1995, a Mancha Verde (Palmeiras) decidiu participar do Carnaval, porém, devido a uma briga entre torcedores da Mancha e da torcida Independente, do São Paulo Futebol Clube, a justiça decretou, ainda naquele ano, a extinção do então Grêmio Recreativo Esportivo Cultural Torcida Mancha Verde como pessoa jurídica.

Como os integrantes da torcida continuaram se reunindo após isso, para que continuassem a poder fazê-lo de modo oficial, em 18 de outubro de 1995 assinaram a oficialização do Grêmio Recreativo Cultural Bloco Carnavalesco Mancha Verde.
Em 1998 tendo como enredo a Palmeira, torna-se bicampeã do Grupo Especial dos Blocos Paulistanos. Tudo levava a crer que a Mancha Verde poderia ter sucesso semelhante a Gaviões da Fiel, escola também oriunda de torcidas organizadas.
Em 2000 a Mancha Verde estreia como escola de samba. Cantando um enredo questionador sobre os 500 anos do Brasil (“Brasil, que história é essa?”), fica em segundo lugar no Grupo 3 Oeste do carnaval de São Paulo,
Em 2003 uma nova meta a ser alcançada pela surpreendente e jovem escola de samba: chegar à elite do samba de São Paulo. Exaltando a cor mais brilhante no coração palmeirense: verde, a Mancha Verde mostra a sua força perante as escolas de maior tradição que compunham àquele grupo (como Tom Maior, GRES Pérola Negra e Unidos de São Lucas ). Por razões até hoje contestadas, a escola fica em terceiro lugar, meio ponto atrás da vice-campeã Imperador do Ipiranga e um atrás da campeã Acadêmicos do Tatuapé, as escolas que voltaram ao Grupo Especial.
Em 2016, a Mancha levou para a avenida o enredo “Mato Grosso, uma Mancha Verde no coração do Brasil” reedição do carnaval de 2005, o primeiro ano da escola no Grupo Especial. Curiosamente, o enredo foi reeditado com o título original reduzido para “Mato Grosso, uma Mancha Verde no coração do Brasil”. Fazendo um desfile luxuoso e correto, a Mancha conquistou o título somando 269,4 pontos, (com 1,20 pontos de vantagem sobre a vice campeã Tom Maior), sacramentando seu retorno ao Grupo Especial.

Em 2019, com o enredo “Oxalá, salve a princesa! A saga de uma princesa negra” a Mancha Verde sagra-se campeã pela primeira vez na sua história.

Infográfico fonte G1

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here