A partir desta segunda-feira apenas serviços essenciais poderão funcionar na capital.

Caixão é levado para manifestação na porta da PBH — Foto: Reprodução/TV Globo

Manifestantes ocupam nesta segunda-feira (29) duas faixas da avenida Afonso Pena, no Centro de Belo Horizonte, para protestar contra o fechamento do comércio. O encontro começou às 10h na porta da prefeitura da capital.

Entre as reivindicações estão a reabertura de bares, restaurantes, academias e shoppings. A Polícia Militar e a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) estão no local monitorando o trânsito.

Manifestantes na porta da Prefeitura de Belo Horizonte — Foto: Maria Claudia Bonutti/ TV Globo

A partir desta segunda-feira, apenas serviços essenciais poderão funcionar em Belo Horizonte. A medida foi anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil na última sexta-feira (26).

A determinação acontece após a capital bater recorde de mortes, com taxa de ocupação de leitos de UTI crescente, e interrompe um processo de flexibilização que teve início no dia 25 de maio.

Ao anunciar que não continuaria liberando a abertura de mais atividades comerciais, Kalil disse que o momento é de “guerra” e fez um apelo para o cumprimento do isolamento social.

Manifestantes pedem a reabertura do comércio em Belo Horizonte — Foto: Maria Claudia Bonutti/TV Globo

Veja o que é considerado “serviço essencial” e poderá continuar funcionando:

  • Padaria (de 5h às 21h)
  • Comércio varejista de laticínios e frios (de 7h às 21h)
  • Açougue e Peixaria (de 7h às 21h)
  • Hortifrutigranjeiros (de 7h às 21h)
  • Minimercados, mercearias e armazéns (de 7h às 21h)
  • Supermercados e hipermercados (de 7h às 21h)
  • Artigos farmacêuticos (sem restrição de horário)
  • Artigos farmacêuticos, com manipulação de fórmula (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de artigos de óptica (sem restrição de horário)
  • Artigos médicos e ortopédicos (sem restrição de horário)
  • Tintas, solventes e materiais para pintura (de 7h às 21h)
  • Material elétrico e hidráulico, vidros e ferragem (de 7h às 21h)
  • Madeireira (de 7h às 21h)
  • Material de construção em geral (de 7h às 21h)
  • Combustíveis para veículos automotores (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo – GLP (sem restrição de horário)
  • Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista listado nesta relação (5h às 17h)
  • Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários (sem restrição de horário)
  • Casas lotéricas (sem restrição de horário)
  • Agência de correio e telégrafo (sem restrição de horário)
  • Comércio de medicamentos para animais (sem restrição de horário)
  • Atividades de serviços e serviços de uso coletivo, exceto os especificados no art. 2º do Decreto nº 17.328, de 8 de abril de 2020 (sem restrição de horário)
  • Atividades industriais (sem restrição de horário)
  • Restaurantes, desde que em sistema de delivery ou retirada na porta (sem restrição de horário)
  • Banca de jornais e revistas (sem restrição de horário)