Moradores em situação de rua e desempregados fizeram uma caminhada nesta sexta-feira da Paixão (19) do Largo do São Bento até a Catedral da Sé, no Centro de São Paulo. No trajeto, o grupo entregou flores a policiais.

Em frente à Secretaria da Segurança Pública, armas de papelão foram destruídas, em protesto contra a violência. Os participantes da caminhada também entregaram bíblias a quem acompanhava o ato.

À tarde, uma celebração na Catedral da Sé lembrou a morte de Cristo. A sexta-feira Santa é um dia em que as igrejas do mundo todo não tem missa. Para o Cardeal Dom Odilo Scherer, é um dia para lembrar que “Deus não está longe”.

“De maneira particular está perto também de todas as nossas angústias, sofrimentos, incertezas, e que nos deixa, portanto, extasiados de alguma forma diante do mistério imenso do amor de Deus para conosco”, disse o cardeal.

No altar, os santos ficaram cobertos e os padres se deitaram em um gesto de entrega e humildade. O dia terminou com uma procissão que lembrou os últimos momentos da vida de Jesus Cristo.

Santana de Parnaíba

A encenação do Drama da Paixão de Cristo em Santana de Parnaíba, a 35 km de São Paulo, será nesta quinta (18), às 20h30, na Barragem Edgard de Souza. O espetáculo é gratuito e está na 24ª edição. A encenação deve reunir 25 mil pessoas.

A Barragem fica às margens do Rio Tietê, em uma área de 15 mil m². Este ano o espetáculo terá uma representação do Mar de Galileia, com Jesus andando sobre as águas. Mais de 400 pessoas entre atores e figurantes participam do espetáculo.

Na primeira parte da dramatização, é contada uma passagem bíblica do Velho Testamento. A edição falará sobre a Epopeia de Gideão. Já na segunda parte do espetáculo será contada a história da vida, morte e ressurreição de Jesus.

Fonte: As informações do portal de notícias ‘G1’.