16 dias depois da ocupação em 14 de dezembro, promovida pelas lideranças das comunidades dos Jds. Pedro Nunes, Camélias, São Carlos, Jd. Santana, Limoeiro, Conjunto Garagem, Parque Cruzeiro, os vizinhos do Parque Primavera decidiram limpar uma área do Parque para plantio de roça de feijão e milho a fim de provar às autoridades que a área é perfeitamente segura, sem risco de contaminação. Além disso o propósito maior é inibir os dependentes químicos que se apossaram da área pública para fazer moradia oferecendo risco de roubos furtos estupro e outros problemas de segurança pública na região.

No último dia 14 de dezembro lideranças locais mostraram o verdadeiro descaso, abandono e inoperância dos órgãos públicos.

Eles pedem a liberação total do Parque, principalmente da área construída e entregue à população em abril/2012 com custo de R$2,2 milhões, até hoje nunca desfrutada pela comunidade.

A POPULAÇÃO SE REVOLTA E NÃO SUPORTA MAIS TANTO DESPREZO POR PARTE DA MUNICIPALIDADE

Por: Idevanir Arcanjo – jornalista