Ao menos 53 cetáceos, alguns deles oceânicos, encalharam e morreram em pouco mais de 30 dias no Litoral catarinense. Nesta semana, baleia minke foi enterrada na praia após encalhar morta em Florianópolis.

Baleia minke encalhou morta em faixa de areia em Florianópolis — Foto:  Emanuel Ferreira/R3Animal

As mortes de cetáceos têm preocupado especialistas que monitoram as praias no Litoral catarinense. Em pouco mais de um mês foram mais de 50 animais que encalharam e os tipo de animais que estão morrendo é que chama atenção das equipes. Muito deles são oceânicos e até raros na costa, como a cachalote e a baleia piloto, além das toninhas, um tipo de golfinho que corre risco de extinção.

Um dos encalhes mais recentes foi de uma baleia minke encontrada morta, em Florianópolis, na tarde de domingo (25). Ela foi enterrada na segunda-feira (26) após veterinários coletarem amostras para analisar a causa da morte. O resultado deve sair em 20 dias.

“As baleias minke também são oceânicas. É uma espécie que registramos mais frequentemente, mas somada aos outros registros mostra que tem algo diferente acontecendo”, diz o biólogo marinho e professor da Univali, André Barreto, que coordena o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PM-BS) em Santa Catarina e no Paraná.

Em 2019, foram 90 animais mortos entre setembro e outubro. Este ano, de 20 de setembro até agora foram ao menos 53. Apesar do número menor em comparação ao período do ano passado, mais animais oceânicos encalharam em 2020, segundo o professor da Univali.

“Infelizmente, esse número de mais de 50 cetáceos não é uma coisa incomum. A quantidade de animais está dentro da variação, um pouquinho acima dos últimos meses, mas nada que chama muito atenção. Os encalhes de animais oceânicos é que nos deixou intrigados, além dos frequentes encalhes e mortes de toninhas que têm preocupado”, disse.

Baleia-piloto que morreu em Laguna. Essa foi a primeira vez que a espécie foi registrada em cinco anos de projeto  — Foto: PMP/ BS Laguna/Divulgação

Entre as espécies raramente avistadas está o golfinho conhecido como baleia-piloto. Em cinco anos de projeto, ele nunca havia sido avistado no litoral entre Santa Catarina e São Paulo, conforme o coordenador. No entanto, em outubro, dois animais dessa espécie encalharam e morreram, um em Laguna, no Sul do estado, e outro em São Francisco do Sul.

Tentativa de salvar os animais

Segundo o biólogo, a maioria dos cetáceos encontrados encalhados estava mortos. Com a saúde já debilitada, os que foram localizados com vida acabaram morrendo depois, apesar do trabalho das equipes e do auxílio de pescadores e banhistas nas praias para tentar salvar os animais.